Aprenda a identificar o tipo de receituário necessário para cada medicamento

As medicações disponíveis no Brasil seguem um padrão de dispensação de acordo com as substâncias ativas presentes. Existem onze tipos de receituários de medicamentos sujeitos a controle especial.

São eles:

A1; A2; A3; B1; B2; C1; C2; C3; C4; C5 e D1.

Receituários do tipo “A”

Em primeiro lugar estão os medicamentos pertencentes às classes que iniciam com a letra “A” são prescritos em receituário de cor amarela. São os entorpecentes e os psicotrópicos.

Receituário tipo A
Exemplo de Receituário da classe “A”.

A imagem acima se refere a um receituário do tipo “A”. Um exemplo de prescrição do tipo A1 é o Dimorf, que contém como substância ativa a morfina, classificada como entorpecente. É um analgésico opioide de alta potência usado muitas vezes portanto em pacientes em tratamento de câncer. Por se enquadrar como entorpecente, inegavelmente existe um controle muito rígido sobre seu uso e comercialização, justificando o uso do receituário “amarelo” do tipo A.

Para utilizar esse tipo de receituário o médico prescritor deve se dirigir a Vigilância Sanitária de sua cidade e realizar um cadastro e a solicitação.

Receituários do tipo “B”

Em segundo lugar estão os medicamentos pertencentes à classe “B” são prescritos em receituário de cor azul. Enquadram-se nessa categoria os psicotrópicos e os anorexígenos.

Receituário tipo B
Exemplo de Receituário da classe “B”.

Dentro da classe “B1” encontram-se as drogas conhecidas como benzodiazepínicos, muito utilizadas para o tratamento de ansiedade. Por este mesmo motivo, essas medicações tem sido usadas como indutores do sono, muito embora não seja recomendado o uso de longo prazo com essa indicação.

Há alguns exemplos muito conhecidos de medicamentos dessa classe como o Diazepam e o Rivotril (clonazepam), por exemplo.

As receitas do tipo “B2” são visualmente muito semelhantes às do tipo “B1”, porém devem indicar explicitamente a marcação “B2” no cabeçalho. Os medicamentos da classe “B2” são os anorexígenos. Alguns exemplos de medicações pertencentes a esta categoria: femproporex, mazindol e sibutramina. Inegavelmente é uma classe de medicação muito procurada.

Assim como para o receituário do tipo “A” o médico prescritor também necessita realizar um cadastro e solicitação na Vigilância Sanitária municipal para obter os receituários do tipo “B”.

Já os medicamentos da classe “C” são os retinoides, os anabolizantes e demais substâncias sujeitas a controle especial, como anti-depressivos e anti-convulsivantes.

No Guia de Bulas, você fica 100% antenado no tipo de receituário de cada medicamento.

Aqui, todos os medicamentos cuja comercialização e obtenção necessita de receita exibem uma barra de informações no topo do documento, como você pode ver por exemplo neste link: guiadebulas.com/pondera.

Por fim, as drogas referentes ao receituário do tipo “C”, por serem mais abrangentes, serão tratadas em outro post. Então clique aqui para acessar!

Você também pode gostar…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.