Princípios ativos: cafeína, dipirona, isometeptenoDorsedin

Indicações de Dorsedin

Analgésico e antiespasmódico.

Efeitos Colaterais de Dorsedin

A maioria está associada à dose, é transitória e responde bem à redução na dosagem ou retirada do medicamento. Ocasionalmente podem ocorrer reações de hipersensibilidade na pele e nas mucosas dos olhos e da cavidade nasofaríngea em pacientes sensíveis. Caso se apresentem alterações dolorosas das mucosas, principalmente da boca e da garganta, é aconselhável a interrupção do tratamento. Com o uso prolongado, podem surgir discrasias sangüíneas, tais como, trombocitopenia, pancitopenia, agranulocitose, anemia ou metaemoglobinemia, já tendo sido relatados casos raros de aplasia medular.

Como Usar (Posologia)

Drágeas e solução oral: adultos: em média 1 a 2 drágeas, 3 a 4 vezes ao dia ou 20 a 40 gotas, 3 a 4 vezes ao dia. As doses podem ser aumentadas conforme a necessidade. Crianças: de 5 a 10 anos: 10 a 20 gotas, 3 a 4 vezes ao dia; de 10 a 15 anos: 20 a 30 gotas, 3 a 4 vezes ao dia. Havendo necessidade de se adaptar esta posologia ao peso corporal pode-se recomendar: acima de 50 kg: 20 a 30 gotas, 3 a 4 vezes ao dia; entre 35 e 50 kg: 15 a 30 gotas, 3 a 4 vezes ao dia; entre 25 e 35 kg: 10 a 20 gotas, 3 a 4 vezes ao dia; entre 20 e 25 kg: 8 a 15 gotas, 3 a 4 vezes ao dia; entre 10 e 15 kg: 4 a 5 gotas, 3 a 4 vezes ao dia; entre 8 e 9 kg: 3 a 4 gotas, 3 a 4 vezes ao dia; entre 6 e 7 kg: 2 a 3 gotas, 3 a 4 vezes ao dia; menos de 5 kg: 1 gota, 3 a 4 vezes ao dia. As drágeas devem ser ingeridas sem mastigar, com meio copo de água; a solução deve ser ingerida previamente diluída em meio copo de água. – Superdosagem: no caso do medicamento ter sido ingerido em doses elevadas, o tratamento deve ser imediatamente suspenso e medidas de suporte devem ser instituídas.

Contra-Indicações de Dorsedin

Devido sua ação simpática vasoconstritora que o isometepteno pode causar, deve ser administrado com cautela a pacientes hipertensos e está totalmente contra-indicado nas crises de hipertensão. Conhecida hipersensibilidade às drogas componentes do produto. Presença de discrasias sangüíneas ou de determinadas doenças metabólicas como porfiria ou a deficiência congênita da glicose-6-fosfato-desidrogenase.

Precauções

Idade: não foram estabelecidas, até o momento, eficácia e segurança de Dorsedin em crianças menores de 5 anos. Uso na gravidez: não se sabe sobre alterações fetais ou teratogênicas, quando do uso na gravidez, ou ainda alteração na capacidade reprodutiva da mulher. Caso o Dorsedin seja usado durante a gravidez, deverá ser feito sob acompanhamento médico, não devendo ser utilizado nos três primeiros meses de gestação. Uso na lactação: não se recomenda que a mulher amamente enquanto estiver tomando medicação, pois não se sabe se existe presença dos componentes da fórmula no leite materno. Outros: tendo em vista a possibilidade da dipirona provocar agranulocitose, quando em tratamentos prolongados recomenda-se controle hematológico (série branca e vermelha). Devido ao componente dipirona, o uso prolongado pode agravar uma tendência a sangramento decorrente de deficiência protrombínica. – Interações medicamentosas: pode ocorrer hipotermia grave quando Dorsedin for administrado concomitantemente com clorpromazina. Devido à dipirona, Dorsedin não deve ser administrado conjuntamente com álcool.

Apresentação

Caixas com 20 drágeas; solução oral em frasco com 15 ml.

Composição

Cada drágea contém: mucato de isometepteno 30mg; dipirona sódica 300 mg; cafeína anidra 30 mg. Excipiente (amido de milho, estearato de magnésio, carbonato de cálcio, corante amarelo tartarazina) q.s.p. 1 drágea. Cada ml de solução oral contém: cloridrato de isometepteno 50 mg; dipirona sódica 300 mg; cafeína anidra 30 mg. Veículo (sorbitol, glicerina, BHT, essência de cerejas, nipagin, nipazol, sacarina sódica) q.s.p. 1 ml.

Laboratório

EMS Ind. Farm. Ltda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.