Princípio ativo: diclofenaco sódicoDnaren
Classe terapêutica dos Antiinflamatorios
Princípio ativo Diclofenaco Sodico. Uso adulto. venda sob prescrição médica.

Indicações de Dnaren

Formas degenerativas e inflamatórias de reumatismo : artrite reumatóide; artrite reumatóide juvenil; espondilite anquilosante; osteo-artrose e espondilartrites.

Síndromes dolorosas da coluna vertebral. Reumatismo não articular. Crises agudas de gota. Processo inflamatório pós-traumático, e após cirurgias dentárias e ortopédicas. Condições inflamatórias e/ou dolorosas em ginecologia : dismenorréia primária ou anexite. Como adjuvante no tratamento de processos infecciosos acompanhados de dor e inflamação do ouvido, nariz e garganta : faringoamigdalites, otites.

Efeitos Colaterais de Dnaren

No aparelho gastrintestinal : Náuseas, vômitos, epigastralgia, diarréia, sangramento gastrintestinal, alterações na função hepática, exacerbação de colite ulcerativa, casos isolados de úlceras pépticas com perfuração.

No Sistema Nervoso Central e Periférico : Cefaléia, tontura, insônia, sonolência, agitação, convulsões, distúrbios visuais, alterações no paladar, distúrbios da memória.

Pele : Erupções cutâneas, fenômenos de hipersensibilidade, edema, eritema multiforme, eczema, abcessos e necrose local.

Sistema uro-genital : Insuficiência renal aguda, hematúria, nefrite intersticial, proteinuria, síndrome nefrótica, necrose papilar.

Fígado : Elevação dos níveis séricos das enzimas aminotransferases (TGO, TGP), hepatite com ou sem icterícia.

Sangue : Trombocitopenia, leucopenia, anemia hemolítica, anemia aplástica, agranulocitose.

Outras : Reações de hipersensibilidade, palpitações, dor no peito e hipertensão.

Contra-Indicações de Dnaren

Não deve ser administrado a pacientes que tenham apresentado hipersensibilidade à droga.

Não utilizar em crianças menores de 14 anos.

Não deve ser administrado a pacientes que desenvolveram asma, urticária ou rinite aguda após o uso de ácido acetilsalicílico ou por outros fármacos com atividade inibidora de prostaglandina-sintetase.

É contra-indicado em úlceras pépticas, gastrites e duodenites.

Interações Medicamentosas

O diclofenaco sódico tal como outros antiinflamatórios não-hormonais, interage com anti-hipertensivos provocando hipertensão e com diuréticos causando a anulação do efeito com exacerbação de insuficiência cardíaca e hipertensão.

A utilização de diuréticos poupadores de potássio deve ser acompanhado de controle da potassemia, pois esses agentes, combinados aos antiinflamatórios não-hormonais, podem ocasionar aumento da potassemia e insuficiência renal aguda reversível.

A utilização de antiinflamatórios não-hormonais, com menos de 24 horas após ou antes do tratamento com metotrexato, pode ocasionar elevação dos níveis séricos dessa última droga e aumentar sua toxicidade.

O diclofenaco sódico aumenta os níveis plasmáticos de lítio, por prejudicar sua excreção renal.

Pode ocorrer um aumento de nefrotoxicidade da ciclosporina por efeito dos agentes antiinflamatórios sobre as prostaglandinas renais.

Embora as investigações clínicas não pareçam indicar que o diclofenaco sódico apresente uma influência sobre o efeito dos anticoagulantes, existem relatos de uma elevação de risco de hemorragias com o uso combinado de diclofenaco e de terapia anticoagulante.

Conseqüentemente, nestes casos é recomendável uma monitorização dos pacientes.

Como outros agentes antiinflamatórios não-esteróides, o diclofenaco sódico em altas doses pode inibir temporariamente a agregação plaquetária.

Estudos clínicos demonstraram que o diclofenaco pode ser administrado juntamente com agentes antidiabéticos orais sem influenciar seus efeitos clínicos.

Existem relatos isolados de efeitos hipo e hiperglicemiantes na presença do diclofenaco, o que determina a necessidade de um ajuste posológico dos agentes hipoglicemiantes.

Pacientes Idosos

Esses pacientes devem estar sob supervisão médica durante o uso do diclofenaco sódico.

M.s. 1.0270.0087
Farm. resp.: drª eliana de paula d. oriolo – crf-sp nº 6.704
Ariston indústrias químicas e farmacêuticas ltda.

Rua adherbal stresser, 84 – jardim arpoador
São paulo – sp – cep 05566-000
Serviço ao consumidor ariston: 0800-55-6222
C.n.p.j. 61.391.769/0001-72 – indústria brasileira

Posologia e Modo de Usar

Via oral:
1 comprimido ao dia. Se necessário a dose pode ser elevada para 150 mg.

Os comprimidos devem ser tomados sem mastigar com um pouco de líquido, de preferência antes das refeições.

Via injetável:
1 ampola diária via intramuscular profunda no quadrante superior da região glútea.

Em estados dolorosos muito intensos, excepcionalmente, podem ser aplicadas duas ampolas diárias, com intervalo de algumas horas, uma em cada nádega.

Na cólica renal, a segunda ampola pode ser aplicada 30 minutos após a primeira.

Por se tratar de medicação para situações agudas não fazer uso por mais de dois dias seguidos.

Precauções e Advertências

Deve-se ter cautela quando da administração a pacientes portadores de porfíria hepática, uma vez que o medicamento pode desencadear uma crise.

Deve-se dar atenção especial para pacientes com deficiência da função cardíaca ou renal, pacientes idosos, pacientes sob tratamento com diuréticos e pacientes que se submeteram a grandes cirurgias.

Em tratamentos prolongados deve-se controlar periodicamente o hemograma e as funções renal e hepática.

Não é recomendável o uso em mulheres grávidas ou que estejam amamentando a não ser em casos de extrema necessidade.

Pacientes que sentirem tonturas ou outros distúrbios do Sistema Nervoso Central devem abster-se de dirigir veículos e/ou operar máquinas.

É imprescindível uma supervisão médica cuidadosa em pacientes portadores de sintomas indicativos de distúrbios gastrintestinais.

Assim como outros agentes antiinflamatórios não esteróides (AINEs), o diclofenaco pode mascarar os sinais e sintomas de infecção por causa de suas propriedades farmacodinâmicas.

Superdosagem

São raros os relatos e superdosagem de antiinflamatórios não-hormonais devido a curta duração da meia vida do fármaco.

O tratamento da superdosagem e da intoxicação aguda consiste essencialmente em medidas sintomáticas e de suporte que deve ser administrada em caso de complicações tais como : hipotensão, insuficiência renal, convulsões, irritação gastrintestinal e depressão respiratória.

Laboratório

Ariston Inds. Químs. e Farms. Ltda.

Remédios da mesma Classe Terapêutica

A.a.s., Actiprofen, Algifen, Alginac, Algizolin

Remédios que contém o mesmo Princípio Ativo

Alginac, Biofenac, Biofenac D.i., Biofenac Lp, Clofen S

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.