Princípio ativo: digoxinaDigoxina Darrow 0,25 mg

AÇÃO TERAPÊUTICA – DIGOXINA DARROW

Aumenta a força contrátil do miocárdio (efeito inotrópico positivo).

SUBSTÂNCIAS – DIGOXINA DARROW

Digoxina, excipientes q.s.p.

CONTRA-INDICAÇÕES – DIGOXINA DARROW

Não deve ser administrada em pacientes com manifestações da intoxicação digitálica, fibrilação ventricular, bradicardia severa e taquicardia.  Hipersensibilidade à Digoxina.

INDICAÇÕES – DIGOXINA DARROW

Indicado no tratamento da Insuficiência Cardíaca Congestiva (ICC), em todos os seus graus, particularmente, nos casos de Insuficiência Ventricular Esqueda Primária.  Quando houver ICC secundária a outras patologias (ex:  hipertireoidismo, cor pulmonale, beriberi, etc), o tratamento da doença básica deverá ser instituído, concomitantemente, ao uso da Digoxina.

APRESENTAÇÃO – DIGOXINA DARROW

Cartucho com 20 comprimidos ou 100 comprimidos.

COMPOSIÇÃO – DIGOXINA DARROW

Cada comprimido contém:  Digoxina  0,25 mg, excipientes q.s.p. 1 comp.

POSOLOGIA E ADMINISTRAÇÃO – DIGOXINA DARROW

Adultos e crianças acima de 10 anos.  Digitalização – Rápida:  0,75 mg a 1,25 mg inicialmente seguido de 0,25 mg a cada 6 e 8 horas, até que se atinja o efeito desejado.  Lenta:  0,125 mg a 0,5 mg uma vez ao dia por, aproximadamente, 7 dias.  Manutenção:  0,125 mg a 0,5 mg uma vez ao dia.

PRECAUÇÕES – DIGOXINA DARROW

Nas seguintes situações, a terapêutica digitálica somente deverá ser instituída sob rígido controle médico e avaliação precisa da relação risco- benefício.   Bloqueio átrio-ventricular (BAV) incompleto e outras alterações de condução; estenose sub-aórtica hipertrófica idiopática; doenças cardíacas isquêmicas; hiperpotassemia; hipopotassemia, hipomagnesemia, miocardite e pericardite; doença pulmonar severa.  Em pacientes portadores de alterações da função renal, deve-se ajustar as doses de Digoxina Darrow, a fim de se evitar a intoxicação digitálica.  É recomendado cautela em pacientes idosos ou debilitaos e naqueles que estejam em uso de marca-passo cardíaco, estando indicado uma cuidadosa avaliação do ajuste das doses de Digoxina Darrow.  Não é aconselhável a administração concomitante de cálcio à terapia glicosídica.
Uso na gravidez:  É sabido que os digitálicos atravessam a barreira placentária, por conseguinte, é aconselhável uma rigorosa avaliação de sua real necessidade durante a gravidez.
Lactação:  A Digoxina é excretada no leite materno em quantidades, extremamente, inferiores às doses terapêuticas administradas ao recém- nato.  Por conseguinte, não deverá ocorrer qualquer efeito farmacológico de relevância no recém-nato.  De qualquer modo, deve-se observar cautela quando agentes digitálicos forem administrados às mulheres em período de lactação.

REAÇÕES ADVERSAS – DIGOXINA DARROW

As reações adversas mais frequentes dos digitálicos, em sua maioria representam a chamada “intoxicação digitálica”, ou sejam:  anorexia, náuseas e vômitos, dor abdominal, diarréia, astenia, bradicardia, turvação visual ou outras alterações visuais, confusão mental e cefaléia.  Arritmias cardíacas devem ser, prontamente, diagnosticadas durante a terapia digitálica, pois geralmente representam os primeiros sinais de intoxicação digitálica.  As arritmias comuns, nestes casos, são:  extrassístoles ventriculares, taquicardia atrial paroxística com bloqueio AV, dissociação átrio- ventricular e aumento do bloqueio AV.  Entretanto, qualquer arritmia iniciada após a terapia digitálica, poderá ser uma manifestação de intoxicação.  Outras reações adversas incomuns e não relacionadas à intoxicação digitálica incluem rash cutâneo e ginecomastia.

LABORATÓRIO

GlaxoSmithKline

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.