Princípio ativo: butiramida (disopiramida)Dicorantil Capsulas

DICORANTIL® 100mg – disopiramida
Caixa com 40 cápsulas.

COMPOSIÇÃO – DICORANTIL Capsulas

Cada cápsula contém

butiramida (disopiramida) ………………..100mg

excipientes q.s.p. ………………..1 cápsula
(Amido de milho, lactose, talco, estearato de magnésio)

INFORMAÇÃO AO PACIENTE – DICORANTIL Capsulas


Ação esperada do medicamento:
Antiarritmico em arritmias de origens diversas.

Cuidados de armazenamento e prazo de validade:
Em sua embalagem original, protegido do calor excessivo, DICORANTIL tem um prazo de validade de 24 meses.

NÃO TOME MEDICAMENTO COM PRAZO DE VALIDADE VENCIDO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE.

Gravidez e lactação:
Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término. Informe ao médico se está amamentando.

Não deve ser utilizado por mulheres durante o primeiro trimestre de gravidez.

Cuidados de administração:
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Interrupção do tratamento:
Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Reações adversas:
Informe a seu médico o aparecimento de reações desagradáveis. Estas podem ser distúrbios urinários, oculares ou digestivos, icterícia e hipoglicemia.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Ingestão concomitante com outras substâncias:
Administração concomitante com diuréticos, alguns neurolépticos como tioridazina e ganglioplégicos como bretílio, requer atenção especial.

Associações com amiodarona, prenilamida e varapamil devem ser evitadas.

Desaconselháveis associações com cardiopressores (beta- bloqueadores).

Contra indicações:
É contra indicado nos casos de:

. Bloqueio atrio- ventricular de segundo e terceiro grau, se não foi implantado um marca-passo cardíaco;

. Bloqueio completo de ramo;

. Insuficiência cardíaca severa;

. Histórico de hipersensibilidade à disopiramida;

. Glaucoma;

. Adenoma prostático;

. Bloqueios parciais de ramo e hemibloqueios, na ausência de modificações do espaço PR e coração aumentado.

INFORME A SEU MÉDICO SOBRE QUALQUER MEDICAMENTO QUE ESTEJA USANDO, ANTES DO INÍCIO, OU DURANTE O TRATAMENTO.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE.

INDICAÇÃO – DICORANTIL Capsulas

Arritmias de origens diversas.

PROPRIEDADES – DICORANTIL Capsulas


A disopiramida, substância ativa do DICORANTIL, é um medicamento antiarrítmico incluído no grupo IA da classificação de Vaughan Williams (antiarrítmico com efeito estabilizador de membrana).

CONTRA-INDICAÇÕES – DICORANTIL Capsulas

Absolutas  bloqueio atrioventricular de segundo e terceiro graus, se não for implantado no paciente um marca- passo cardíaco; bloqueio completo de ramo; insuficiência cardíaca severa; história de hipersensibilidade à droga.

Relativas  bloqueios parciais de ramo e hemibloqueios, segundo o estado geral e a idade do paciente, na ausência de modificações do espaço PR e coração aumentado; adenoma prostático; glaucoma.

PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS – DICORANTIL Capsulas


Em razão de sua ação inotrópica negativa, o DICORANTIL será prescrito com precaução e somente após tratamento apropriado nos  doentes com insuficiência cardíaca ou tendo apresentado manifestações desse tipo anteriormente. Uma vigilância estreita será igualmente aplicada em caso de cardiopatia (prescrição eventual, associada ou anterior, de digitálicos e controles eletrocardiográficos repetidos). A eliminação principalmente urinária do DICORANTIL (80%) torna necessária uma redução das doses no caso de insuficiência renal. A experimentação do produto por via venosa permitiu precisar que sua posologia deve, em caso de insuficiência renal, ser reduzida a 1/3 ou mesmo 1/5 da dose habitual. A existência de bradicardia, tendências sincopais, de hipotensão arterial devem conduzir a um exame eletrocardiográfico para pesquisar um alongamento do intervalo QT, excepcionalmente um alargamento do QRS 12/100seg ou um bloqueio de ramo. O aparecimento de bloqueio atrioventricular ou bloqueio de ramo bilateral deve fazer suspender o uso de DICORANTIL. A glicemia deve ser regularmente controlada, particularmente  nos pacientes com insuficiência cardíaca descompensada ou insuficiência hepática, assim como nos doentes idosos e mal- nutridos.
Não deve ser empregado em pacientes no primeiro trimestre da gravidez.

EFEITOS COLATERAIS – DICORANTIL Capsulas

                                                                                             índice

 Essencialmente do tipo atropínico: urinários  disúria, eventualmente retenção aguda. Convém assinalar que esses distúrbios
 urinários se observam mais frequentemente no homem, sobretudo no prostático, mas podem igualmente ocorrer na mulher. Oculares  distúrbios da acomodação, diplopia. Digestivos  secura da boca, gastralgias passageiras. Sua frequência pode ser estimada de 5 a 7% para os distúrbios urinários e digestivos, menos para os distúrbios oculares. A tolerância mostra- se, aparentemente, melhor nos pacientes ambulatoriais que nos acamados. Casos excepcionais de icterícia colestática foram relatados. Excepcionalmente casos de hipoglicemia foram observados.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS – DICORANTIL Capsulas


A associação do DICORANTIL aos diuréticos impõe controle frequente de kalemia. Recomenda- se prudência para a administração simultânea de alguns neurolépticos (tioridazina) ou de ganglioplégicos (bretílio). As associações com amiodarona, prenilamina e verapamil devem ser evitadas. Ainda, a associação com medicamentos cardiodepressores (betabloqueadores notadamente) é  desaconselhável.

POSOLOGIA – DICORANTIL Capsulas


As doses variam, conforme as circunstâncias cardiológicas, de 100 a 600mg por dia. A posologia média é de 4 cápsulas por dia.
Tratamento de ataque  começar com 2 cápsulas no primeiro dia, para verificar a ausência de qualquer reação. Aumentar progressivamente a posologia até a obtenção do efeito terapêutico, sem ultrapassar 6 cápsulas por dia. Caso não se obtenha qualquer resultado com esta dose, ministrada durante uma semana, não adianta prolongar o tratamento por mais tempo. Tratamento de manutenção  a posologia diária, variável conforme o doente, oscila, habitualmente, entre 1 e 4 cápsulas. A posologia de manutenção será pesquisada baixando progressivamente a dose: a posologia mínima eficaz é, muitas vezes, extremamente precisa para um determinado doente, uma cápsula a mais ou a menos.
                                                                                                               
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA.

LABORATÓRIO

Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.