Princípio ativo: diclofenaco sódicoDiclac
Classe terapêutica dos Antiinflamatorios
Princípio ativo Diclofenaco Sodico. venda sob prescrição médica.

Indicações de Diclac

Formas degenerativas e inflamatórias de reumatismo: artrite reumatóide, artrite reumatóide juvenil;
espondilite anquilosante; osteoartrose e espondilartrites. Síndromes dolorosas da coluna vertebral. Reumatismo
não-articular. Crises agudas de gota. Inflamações pós-traumáticas e pós-operatórias dolorosas e edema.

Condições inflamatórias e/ou dolorosas em ginecologia. Como adjuvante no tratamento de processos infecciosos
acompanhados de dor e inflamação de ouvido, nariz ou garganta. De acordo com os princípios terapêuticos
gerais, a doença de fundo deve ser tratada com a terapia básica adequadamente.

Como Usar (Posologia)

Como regra, a dose diária inicial é de 100 a 150 mg. em casos mais leves, bem como para terapias
Prolongadas, 75 a 100 mg por dia são geralmente suficientes. a dose diária pode ser geralmente prescrita em 2 a
3 doses fracionadas.

Os comprimidos devem ser tomados com um pouco de líquido, de preferência antes das refeições.

A posologia detalhada para o tratamento da disminorréia primária, bem como a sua duração é apresentada na
Bula do medicamento.

Contra-Indicações de Diclac

Úlcera gástrica ou intestinal. Hipersensibilidade a qualquer componente da formulação.

Pacientes nos quais as crises de asma, urticária ou rinite aguda são precipitadas pelo ácido acetilsalicílico ou por
outros fármacos com atividade inibidora da prostaglandina-sintetase.

Modo de Uso (Posologia) de Diclac

Como regra, a dose diária inicial é de 100 a 150 mg. em casos mais leves, bem como para terapias
Prolongadas, 75 a 100 mg por dia são geralmente suficientes. a dose diária pode ser geralmente prescrita em 2 a
3 doses fracionadas.

Os comprimidos devem ser tomados com um pouco de líquido, de preferência antes das refeições.

A posologia detalhada para o tratamento da disminorréia primária, bem como a sua duração é apresentada na
Bula do medicamento.

Apresentações

20 comprimidos revestidos 50 mg
20 comprimidos liberação lenta 75 mg

Cuidados e Advertências

É imprescindível uma supervisão médica cuidadosa em pacientes portadores de
sintomas indicativos de distúrbios gastrintestinais, com história que sugira ulceração gástrica ou intestinal, com
colite ulcerativa ou com doença de Crohn, bem como em pacientes com distúrbios da função hepática. Pode
ocorrer elevação dos níveis de uma ou mais enzimas hepáticas com o uso de DICLAC. Durante tratamentos
prolongados, é recomendável a monitorização da função hepática como medida de precaução. Na ocorrência de
sinais ou sintomas indicativos do desenvolvimento de doença hepática ou de outras manifestações, ou se testes
anormais para a função hepática persistirem ou piorarem, o tratamento com DICLAC deverá ser descontinuado.

Poderá ocorrer hepatite com ou sem sintomas prodrômicos. Deve-se ter cautela ao administrar DICLAC a
pacientes portadores de porfiria hepática. Quando da utilização de DICLAC em pacientes com deficiência das
funções cardíaca ou renal, pacientes idosos, pacientes sob tratamento com diuréticos, e aqueles com depleção de
volume extracelular de qualquer origem, é recomendável uma monitorização da função renal como medida de
precaução. A descontinuação do tratamento é seguida pela recuperação do estado de pré-tratamento. Durante
tratamento prolongado com DICLAC, recomenda-se monitorizar o hemograma. DICLAC pode temporariamente
inibir a agregação plaquetária. Pacientes com deficiência de hemostasia devem ser cuidadosamente
monitorizados. Deve-se ter precaução especial com pacientes idosos debilitados ou com aqueles com baixo peso
corpóreo, sendo particularmente recomendável a utilização da menor posologia eficaz. Pacientes com sintomas
de tontura ou com outros distúrbios do sistema nervoso central, incluindo-se distúrbios visuais, não devem dirigir
veículos ou operar máquinas. Uso durante a gravidez: somente quando houver indicação formal e utilizando-se a
menor posologia eficaz.

Este medicamento pode interagir com:
(a) lítio, digoxina: DICLAC pode elevar as concentrações plasmáticas
destas drogas.

(b) diuréticos: DICLAC pode inibir a atividade destas drogas.

(c) AINEs: a administração
concomitante de AINEs sistêmicos pode aumentar a freqüência de reações adversas.

(d) anticoagulantes: é recomendável uma monitorização dos pacientes.

(e) antidiabéticos: pode ser necessário ajuste posológico dos
agentes hipoglicemiantes.

(f) metotrexato: deve-se ter cautela quando AINEs forem administrados menos de 24 horas antes ou após o tratamento com metotrexato, uma vez que a concentração sérica desse fármaco pode se elevar, aumentando assim a sua toxicidade. (g) ciclosporina: os efeitos dos AINEs sobre as prostaglandinas renais podem aumentar a nefrotoxicidade desta droga.

Reações adversas que ocorrem ocasionalmente:
Trato gastrintestinal: epigastralgia, distúrbios gastrintestinais, tais como náusea, vômito, diarréia, cólicas abdominais, dispepsia, flatulência, anorexia, irritação local.

Sistema nervoso central: cefaléia, tontura ou vertigem.

Pele: rash (erupção).

Fígado: elevação dos níveis séricos das enzimas aminotransferases.

Laboratório

HEXAL DO BRASIL LTDA

Remédios da mesma Classe Terapêutica

A.a.s., Actiprofen, Algifen, Alginac, Algizolin

Remédios que contém o mesmo Princípio Ativo

Alginac, Biofenac, Biofenac D.i., Biofenac Lp, Clofen S

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.