Princípio ativo: dexametasonaDexamytrex Ophtiole

Laboratório

Bausch

Apresentação de Dexamytrex Ophtiole

Tubo c/ 3 g de pom. oft. Colírio 5ml

Dexamytrex Ophtiole – Indicações

Infecções do segmento anterior do olho causadas por gérmens patogénicos sensiveis à gentamicina, isto é, inflamações bacterianas da conjuntiva, córnea – sem lesão epitelial – e palpebras que mostrem reacções inflamatórias severas. Inflamações alergicas super infectadas da conjuntiva e palpebra.

Contra-indicações de Dexamytrex Ophtiole

Doenças purulentas agudas do segmento anterior do olho; herpes corneae superficialis lesões e processos ulcerosos da córnea; tuberculose ocular; infecções fúngicas do olho; glaucoma de angulo aberto ou fechado; hipersensibilidade à dexametasona e/ou gentamicina. Glaucoma e catarata em utilização prolongada. Em casos raros pode surgir sensação de picada de curta duração.

Advertências

Se for omitida a administração de uma ou mais doses o tratamento deve continuar. Não é necessária qualquer precaução especial para a suspensão do tratamento, nem são de considerar casos de sobredosagem

Uso na gravidez de Dexamytrex Ophtiole

Por não existirem estudos na gravidez este produto não deverá ser utilizado nesta situação.

Interações medicamentosas de Dexamytrex Ophtiole

Não se conhecem

Dexamytrex Ophtiole – Posologia

Em geral, instilar no olho doente, 1 gota de colirio no saco conjuntival, 4 a 6 vezes ao dia. A duração do tratamento não deverá exceder 2 semanas; durante o tratamento deverão ser observados os resultados; é recomendada a vigilância da pressão intraocular.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.