Princípios ativos: cianocobalamina, dexametasona, piridoxina, tiaminaDexa-citoneurin

Laboratório

Merck

Apresentação de Dexa-citoneurin

emb. c/ três amp. I (2ml) e três amp. II (1ml) – Uso intramuscular compr. laqueados – emb. c/ 20 compr. laqueados.

Dexa-citoneurin – Indicações

Antiinflamatório, antiálgico e antineurítico.

Contra-indicações de Dexa-citoneurin

Dexa-citoneurin está contra-indicado em pacientes c/ reconhecida hipersensibilidade à tiamina e à lidocaína. Por não estar plenamente estabelecida a segurança de seu uso durante a gestação, Dexa-citoneurin não deve ser usado por mulheres grávidas. O uso é também contra-indicado para pacientes c/ história de úlcera péptica, hipertensão arterial, diabetes, insuficiência cardíaca, bloqueio aurículo-ventricular, bradicardia e infecção micótica sistêmica ou hipersensibilidade a qualquer um dos excipientes. Dexa-citoneurin não deve ser usado por pacientes c/ problemas cardíacos, pressão alta, úlceras no estômago e duodeno, diabete e infecções graves ou alergia a qualquer um dos excipientes.

Advertências

Dexa-citoneurin Solução Injetável não pode ser utilizado por pessoas com reconhecida hipersensibilidade à tiamina (vitamina B1) e à procaína (anestésico). O potente corticóide dexametasona, presente na fórmula de Dexa-citoneurin pode ocasionar diferentes reações desagradáveis. Isso, porém, ocorre quando se utilizam doses elevadas desta substância e/ou tempo de tratamento prolongado. As reações desagradáveis incluem: aumento da pressão arterial, inchação generalizada, em especial do rosto (cara de lua), aumento de glicose sanguínea, retardo na cicatrização de feridas, ativação ou piora de úlceras pépticas (podendo chegar a sangramento), alterações em ossos e inibição do funcionamento das glândulas hipófise e suprarenais. Durante o tratamento com Dexa-citoneurin Solução Injetável, pessoas alérgicas ao anestésico procaína e à vitamina B1 poderão apresentar vermelhidão e coceira na pele, malestar geral, dificuldade de respirar, tonteira e sensação de desmaio. Se após uma aplicação surgir qualquer um desses sintomas, o paciente deve procurar imediatamente seu médico. Não voltar a usar o produto antes de falar com o médico. Em algumas pessoas podem ocorrer dor e irritação no local das injeções. Dexa-citoneurin só excepcionalmente deve ser empregado em pacientes com processos infecciosos bacterianos ou viróticos. O mesmo cuidado deve ser adotado em relação a pacientes com osteoporose. Em pacientes hipotiróideos ou com cirrose hepática pode haver efeito aumentado do corticóide. Pacientes com problemas psiquiátricos podem ter seus sintomas exacerbados pelo uso de corticóides. A dexametasona é eliminada pelo leite materno e pode provocar efeitos indesejados no lactente. Assim sendo, mulheres em uso de Dexa-citoneurin não devem amamentar durante o tratamento. Durante tratamento com Dexa-citoneurin os pacientes não devem ser submetidos a vacinas imunizantes.

Uso na gravidez de Dexa-citoneurin

Dexa-citoneurin Solução Injetável não deve ser utilizado por mulheres durante a gravidez e a lactação

Interações medicamentosas de Dexa-citoneurin

Dexa-citoneurin não deve ser administrado a pacientes parkinsonianos em uso de levodopa isolada, pois a vitamina B6 reduz o efeito terapêutico daquela droga. Isso parece não ocorrer quando a Ievodopa está associada a inibidores da descarboxilase. Produtos contendo salicilatos, colchicina, aminoglicosídios, cloranfenicol, anticonvulsivantes, assim como suplementos de potássio, podem diminuir a absorção intestinal da vitamina B12. A difenilidantoína, o fenobarbital, a efedrina e a rifampicina reduzem os níveis plasmáticos da dexametasona. O uso concomitante de salicilatos e antiinflamatórios pode aumentar a ação ulcerogênica da dexametasona. O uso simultâneo de diuréticos e dexametasona resulta em excreção aumentada de potássio. Durante tratamento com dexametasona deve-se controlar com freqüência o tempo de protrombina em pacientes em uso de anticoagulantes cumarínicos, pois a resposta a esses agentes é inibida. Embora não confirmados, existem também relatos de potencialização da ação dos cumarínicos.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Dexa-citoneurin

A dexametasona pode ocasionar reações adversas próprias dos corticóides, tais como: – alterações no metabolismo hidrossalino – retenção de água / sódio, edema, caliurese aumentada e hipocaliemia; – alterações cardiovasculares – hipertensão, insuficiência cardíaca; – alterações no metabolismo lipídico – hiperglicemia, glicosúria, hiperfagia, hiperlipidemia; – alterações ósseas – mobilização do cálcio e fósforo ósseos, osteoporose, necrose avascular de ossos, retardo do crescimento em crianças; – exacerbação de úlceras pépticas, com possibilidade de sangramento e perfuração; – risco aumentado de infecções, mascaramento de infecções; – retardo na cicatrização; – alterações hematológicas – leucopenia, tromboembolismo; – alterações oculares – aumento de pressão intra-ocular, glaucoma, catarata; – exacerbação de problemas psiquiátricos pré-existentes, alterações depressivas ou maníacas do humor, reações deliróides; – hipercorticismo exógeno – síndrome de Cushing, com obesidade central, facies cushingóide (cara de lua), acne, hirsutismo, estrias, equimoses, miopatia, etc. – hipocortisolismo endógeno – por inibição da hipófise e da supra-renal, com insuficiente reação ao stress. As reações adversas são quase sempre decorrentes do uso de elevadas doses de corticóides e/ou tempo de tratamento prolongado. Como o tratamento com Dexa-citoneurin é feito em tempo curto e com doses baixas, não é de se esperar ocorrência de efeitos colaterais significativos. A inibição das supra-renais e da hipófise é minimizada pela administração dos corticóides em dose única, pela manhã, ocasião em que ocorre o pico máximo de secreção endógena de corticoesteróide. É aconselhável, em caso de tratamento prolongado e/ou com altas doses, evitar interrupção brusca do tratamento, procedendo-se à redução gradativa da posologia. Em pessoas sensíveis à procaína ou à tiamina, a injeção de Dexa-citoneurin pode desencadear eritema, prurido, náuseas, vômitos ou reação anafilática. Existem relatos, muito raros, de reações alérgicas à própria dexametasona. A injeção de Dexa-citoneurin pode provocar dor e irritação no local de aplicação.

Dexa-citoneurin – Posologia

Uma injeção a cada dois ou três dias. Na maioria dos casos são suficientes três injeções. Vide Cuidados de administração. Outros esquemas posológicos podem ser adotados a critério médico.

Superdosagem

Em caso de inibição da hipófise e supra-renal, o paciente deverá receber suplemento de corticóides sempre que submetido a situações estressantes (p. ex., cirurgias, traumatismos, etc). Na eventualidade de reações alérgicas, administrar antialérgicos. Nas reações anafiláticas, utilizar adrenalina (subcutânea ou endovenosa) e corticóides endovenosos, promover reposição hídrica e alcalinização com bicarbonato de sódio.

Dexa-citoneurin – Informações

Composição: Dexa-citoneurin Solução injetável Cada ampola I (2ml) contém: Cloridrato de tiamina (vitamina B1).. 100 mg Cloridrato de piridoxina (vitamina B6)… 100 mg Cianocobalamina (vitamina B12).. 5.000mcg Cloridrato de procaína.. 50 mg Cada ampola lI (1ml) contém: 21-Acetato de dexametasona.. 4 mg Dexa-citoneurin Comprimidos laqueados Cada comprimido laqueado contém: Dexametasona.. 0,5 mg Mononitrato de tiamina (vitamina B1) …100 mg Cloridrato de piridoxina (vitamina B6)… 100 mg Cianocobalamina (vitamina B12).. 5.000 mcg

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.