Princípio ativo: tartarato de tolterodinaDetrusitol

Indicações de Detrusitol

Tratamento de bexiga instável, com sintomas de urgência e incontinência urinária ou aumento na freqüência de micções.

Efeitos Colaterais de Detrusitol

A tolterodina pode causar efeitos antimuscarínicos leves a moderados, tais como, boca seca, dispepsia e diminuição do lacrimejamento. Reações adversas muito freqüentes: boca seca, dispepsia, constipação, dor abdominal, flatulência, vômitos, cefaléia, xeroftalmia, sonolência, nervosismo, parestesia. Reações adversas pouco freqüentes: distúrbios de acomodação visual, dor no peito. Reações adversas raras: retenção urinária, confusão mental.

Como Usar (Posologia)

Adultos e idosos: a dose recomendada é de 2 mg, duas vezes ao dia, exceto em pacientes com comprometimento da função hepática, para os quais se recomenda 1 mg, duas vezes ao dia. Em caso de efeitos colaterais desagradáveis, a dose também deve ser reduzida de 2 mg para 1 mg, duas vezes ao dia. Após 6 meses, deve-se considerar a necessidade de se prolongar o tratamento. Apresentações: comprimidos 1 mg e 2 mg em embalagens contendo 28 ou 60 comprimidos.

Contra-Indicações de Detrusitol

Em pacientes com retenção urinária, retenção gástrica, glaucoma não controlado de ângulo estreito, hipersensibilidade conhecida à tolterodina ou a qualquer dos excipientes presentes na fórmula do produto.

Precauções

Deve ser administrado com cautela em pacientes com obstrução significativa do canal urinário, com risco de retenção urinária, glaucoma incipiente de ângulo estreito, distúrbios gastrintestinais obstrutivos, por exemplo, estenose pilórica, doença renal, doença hepática. Neste caso, a dose nunca deve exceder 1 mg, duas vezes ao dia. Detrusitol não deve ser utilizado durante a gravidez. – Interações medicamentosas: os efeitos antimuscarínicos da tolterodina podem ser potencializados quando o produto é administrado a pacientes que já estão recebendo outras drogas com tais efeitos, como, por exemplo, alguns antidepressivos. São possíveis interações farmacocinéticas com outros fármacos que sofram metabolização ou que inibam o citocromo P450 2D6 (CYP2D6). Entretanto, o tratamento concomitante com fluoxetina, potente inibidor do CYP2D6, somente determina pequeno aumento à exposição combinada da tolterodina livre e do metabólito equipotente 5-hidroximetilado. Este fato não resulta numa interação clinicamente significativa. Ainda não foram desenvolvidos estudos clínicos com inibidores ou indutores do CYP3A4. Os estudos clínicos realizados não demonstraram qualquer interação com warfarina ou anticoncepcionais orais (etinilestradiol/levonorgestrel) combinados. Um estudo clínico com drogas sob investigação metabólica não evidenciou qualquer inibição da atividade do CYP2D6, 2C19, 3A4 ou 1A2, pela tolterodina.

Composição

Cada comprimido de 1 mg contém tartarato detolterodina 1 mg (equivalente a 0,68 mg de tolterodina) e excipiente q.s.p. 1 comprimido. Cada comprimido de 2 mg contém tartarato de tolterodina 2 mg (equivalente a 1,37 mg de tolterodina).

Laboratório

Pharmacia & Upjohn Ltda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.