Princípio ativo: metisergida

C1 – Receituário de controle especial em duas vias

Deserila
Classe terapêutica dos Analgesicos
Princípio ativo Metisergida. Uso adulto. venda sob prescrição médica.

Indicações de Deserila

Prevenção das crises recorrentes de enxaqueca, variantes de enxaqueca, cefaléia em salvas (cefaléia histamínica) e outras cefaléias vasculares.

Síndrome carcinóide: a diarréia conseqüente responde de forma favorável.

Efeitos Colaterais de Deserila

Náusea e vômito podem ocorrer com doses dentro das variações terapêuticas. Esses efeitos colaterais podem ser frequentemente atenuados pela ingestão do medicamento com alimentos. Insônia, vertigem, alterações mentais discretas transitórias, reações cutâneas, edema e vasoconstrição afetando tanto artérias grandes como pequenas, podem ocorrer. Dependendo do vaso envolvido, essa complicação pode se apresentar como dor torácica, abdominal, ou extremidades frias, dormentes, dolorosas, com ou sem parestesias e pulso reduzido ou ausente. Com administração contínua a longo prazo foram descritos casos de fibrose retroperitonial. Esse efeito colateral, no entanto, apareceu muito raramente quando o período de administração do medicamento foi menor que seis meses. Esse distúrbio geramente produz obstrução do trato urinário com sintomas como mal-estar geral, dor nas costas, dor na região lombar, disúria, oligúria, aumento do nitrogênio sangüíneo, insuficiência vascular nas extremidades inferiores. Uma afecção semelhante, a fibrose pleuropulmonar, também tem sido relatada em pequeno número de pacientes. Os sintomas presentes podem ser dor torácica, dispnéia ou atrito pleural e derrame pleural.

Sopros cardíacos ou vasculares também foram descritos. Na ocorrência de qualquer um desses sintomas a medicação deve ser interrompida e o médico responsável imediatamente informado. Geralmente esses sntomas regridem com a suspensão do medicamento.

Como Usar (Posologia)

Adultos
Prevenção da cefaléia:
1 ou 2 drágeas, duas a três vezes ao dia, às refeições.

O tratamento deve ser iniciado com dose baixa (1 drágea), aumentado-se progressivamente até atingir a dose ótima.

Síndrome carcinóide:
Geralmente são necessárias doses elevadas. Na maioria dos casos relatados, a posologia variou de 12 mg a 20 mg por dia.

Crianças
Não se recomenda o uso de DESERILA em crianças.

Contra-Indicações de Deserila

Hipersensibilidade ao medicamento; gravidez, lactação; distúrbios vasculares periféricos, arteriosclerose progressiva, hipertensão severa, doença coronariana, lesões valvares cardíacas, flebite ou celulite das extremidades inferiores; fibrose pulmonar, colagenoses; doenças obstrutivas do trato urinário superior; caquexia ou afecções sépticas.

Precauções

O tratamento com DESERILA deve ser interrompido por um período de 3 a 4 semanas, o mais tardar após 6 meses de tratamento; a posologia deve ser reduzida gradualmente durante as últimas 2 a 3 semanas de cada período de tratamento, para evitar o aparecimento de cefaléia de rebote.

Aos primeiros sinais de transtorno da circulação periférica, recomenda-se a imediata suspensão do medicamento.

Nos casos de síndrome carcinóide, deve-se pesar o risco de efeitos colaterais devido às doses elevadas , contra o benefício terapêutico.

Modo de Uso (Posologia) de Deserila

Adultos
Prevenção da cefaléia:
1 ou 2 drágeas, duas a três vezes ao dia, às refeições.

O tratamento deve ser iniciado com dose baixa (1 drágea), aumentado-se progressivamente até atingir a dose ótima.

Síndrome carcinóide:
Geralmente são necessárias doses elevadas. Na maioria dos casos relatados, a posologia variou de 12 mg a 20 mg por dia.

Crianças
Não se recomenda o uso de DESERILA em crianças.

Apresentação

Embalagem com 25 drágeas

Composição

Cada drágea contém: 1mg de metisergida

Interações Medicamentosas

O uso concomitante de DESERILA com agentes vasoconstritores pode resultar em vasoconstrição aumentada.

Propriedades

DESERILA é eficaz no tratamento preventivo da enxaqueca devido principalmente a duas propriedades:
acentuado antagonismo à serotonina (inibição da ação desencadeante da dor e
do aumento da permeabilidade da serotonina);
efeito potencializador dos estímulos vasoconstritores.

Superdosagem

Apenas alguns casos de intoxicação com deserila foram relatados.

Sintomas: cefaléia, agitação, hiperatividade; náusea, vômito, dor abdominal; midríase, taquicardia, cianose; vasoespasmo periférico com pulso diminuído, extremidades frias.

Tratamento: o tratamento é essencialmente sintomático e de apoio, incluindo, possivelmente, lavagem gástrica, seguida de administração de carvão ativado; para controlar a hiperatividade: diazepam; para o tratamento de vasoespasmo periférico: vasodilatadores, como por exemplo, o nitroprussiato de sódio.

Laboratório

Novartis Biociências S.A.

Remédios da mesma Classe Terapêutica

A.a.s., Acetofen, Actiprofen, Algifen, Algizolin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.