Princípio ativo: deltametrinaDeltametril

Laboratório

Medquimica

Apresentação de Deltametril

Shampoo 20 mg – fr. de 100 ml Loção 20 mg – fr. de 100 ml Sabonete 30 mg

Deltametril – Indicações

A DELTAMETRINA está indicada no tratamento da PEDICULOSE ( piolhos ), da FITIRIASE ( chatos ), da ESCABIOSE ( sarna ) e das infestacções por carrapatos em geral.

Contra-indicações de Deltametril

Hipersensibilidade à DELTAMETRINA. Ferimentos, queimaduras e outros tipos de lesões da pele.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Deltametril

Pode causar irritação ocular e irritação cutânea. Se o produto for utilizado em extensas áreas lesionadas, pode haver uma absorção significativa e assim ensejar o aparecimento de cefaléia, distúrbios respiratórios, gastrintestinais e neurológicos.

Deltametril – Posologia

LOÇÃO: Friccionar toda a região do corpo caso necessário, deixando permanecer até o próximo banho. Usar durante 4 dias consecutivos e repetir o esquema 7 dias após o primeiro uso. SHAMPOO: Deve ser aplicado nas áreas atingidas, durante o banho, fazendo ligeiras fricções com a ponta dos dedos. Deixar o produto atuar por 5 min. E após enxaguar. Usar durante 4 dias consecutivos e repetir o esquema 7 dias após o primeiro uso, de modo a evitar uma possível reinfestação por permanência dos ovos. SABONETE: Ensaboar energicamente toda a região afetada ou todo o corpo caso necessário, deixando a espuma permanecer durante 5 min. Enxaguar bem. Usar durante 4 dias consecutivos e repetir o esquema 7 dias após o primeiro uso, de modo a evitar uma possível reinfestação por permanência dos ovos.

Deltametril – Informações

A DELTAMETRINA é um piretróide racêmico sintético e quimicamente um derivado de síntese éster do ácido crisantemocarboxílico. É um inseticida de baixa toxicidade para os mamíferos, porém de grande toxicidade para os insetos e artrópodes, atuando seletivamente após sua absorçào através do exoesqueleto de quitina dos ectoparasitas. Atua sobre o sistema nervoso central dos insetos provocando um aumento transitório da permeabilidade dos canais de sódio nas membranas das células nervosas causando distúrbios de polarização. Fixa-se nos glânglios nervosos periféricos e nas estruturas motoras do sistema nervoso central, produzindo excitabilidade, incoordenação motora, letargia, paralisia e morte do ectoparasita. Apresenta uma DL50 de 31mg/Kg por via oral em ratas e de 4mg/Kg I.V. no mesmo animal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.