Princípio ativo: ciclofosfamidaCycram

CYCRAMCiclofosfamida
Comprimidos Revestidos e Liófilo Injetável

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES: – CYCRAM

Cycram apresenta- se sob as formas de comprimidos revestidos e liófilo injetável.Os comprimidos revestidos de Cycram são redondos, de coloração branca, para administração oral, contendo 50mg de Ciclofosfamida cada. Acondicionados em frascos plásticos opacos com 50 comprimidos.
O liófilo injetável de Cycram, de coloração branca, contendo 200mg ou 1g de Ciclofosfamida, destina- se à administração parenteral, após sua reconstituição com o diluente apropriado. Caixas contendo 10 frascos-ampolas, para a apresentação de 200mg, e 1 ou 10 frasco(s)-ampola(s) para a apresentação de 1g.

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

COMPOSIÇÃO: – CYCRAM


Comprimido revestido de 50mg:
Cada comprimido revestido contém:
Ciclofosfamida ………………..50 mg
Hidroxipropilcelulose ………………..100 mg    
Lactose ………………..43,2 mg    
Povidona ………………..04,8 mg    
Estearato de Magnésio ………………..2 mg    
Hidroxipropilmetilcelulose ………………..13 mg    
Dióxido de Titânio ………………..1,3 mg    
Propilenoglicol ………………..q.s.    

Liófilo injetável de 200mg:
Cada frasco- ampola contém:
Ciclofosfamida ………………..200 mg
Cloreto de Sódio ………………..90 mg    

Liófilo injetável de 1g:
Cada frasco- ampola de 1g contém:
Ciclofosfamida ………………..1000 mg
Cloreto de Sódio………………..450 mg    

INFORMAÇÕES AO PACIENTE: – CYCRAM

O medicamento (tanto os comprimidos revestidos como o liófilo injetável) deve ser conservado em sua embalagem original, sob temperatura entre 15 ºC e 25 ºC, ao abrigo da luz, calor e umidade excessiva.Reconstituir Cycram Injetável somente em Água Estéril para Injeções. Após a reconstituição, sob temperatura ambiente, caso ocorra precipitação ou turbidez da solução, o produto deverá ser descartado.
O prazo de validade de Cycram (tanto para os comprimidos revestidos como para o liófilo injetável) é de 36 meses, a contar das suas datas de fabricação, nas condições acima citadas, estando esses dados impressos em suas embalagens externas.
Qualquer conteúdo remanescente no frasco- ampola de Cycram Injetável deve ser descartado.

” NÃO USE O MEDICAMENTO SE O PRAZO DE VALIDADE ESTIVER VENCIDO”

Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após seu término. Informe seu médico se está amamentando.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.

” TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS”

Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.

” NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE”.
Cycram Comprimidos Revestidos é para uso exclusivamente oral.
Cycram Injetável é para uso parenteral, por vias intravenosa, intramuscular, intrapleural ou intraperitoneal.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS – CYCRAM

Modo de Ação:
Ciclofosfamida é uma mostarda alquilante.
Após sua conversão em metabólitos ativos no fígado.Cilcofosfamisa atua como um agente alquilante, interferindo na replicação do DNA e na transdrição do RNA, resultando em interrupção da função do ácido nucléico.
Ciclofosfamisa tem propriedades fosforilantes que aumentam sua citotoxicidade.
Ciclofosfamida também apresenta potente atividade imunossupressora.

Farmacocinética:
Ciclofosfamida é bem absorvida após administração oral, com biodisponibilidade maior que 75‰.
A concentração plasmática máxima ocorre em torno de 1 hora.
A droga inalterada tem meia- vida de 3 a 12 horas. A maior parte da dose é eliminada na forma de metabólitos, porém, de 5‰ a 25‰ da dose é excretada na urina, sob forma inalterada.
Ainda não se sabe qual é a atividade específica de cada metabólito. Vários metabólitos citotóxicos e não- citotóxicos têm sido identificados na urina e no plasma. Concentrações plasmáticas dos metabólitos atingem o pico máximo após 2 a 3 horas da dose intravenosa.
Ciclofosfamida liga- se pouco à proteínas plasmáticas, porém alguns metabólitos ligam-se em até 60‰.
Apesar de ocorrer um aumento nos níveis de metabólitos em pacientes com comprometimento renal, não foi observado aumento dos efeitos tóxicos nesses pacientes.
Ciclofosfamida e seus metabólitos distribuem- se rapidamente através do corpo todo, inclusive no cérebro e SNC.
Ciclofosfamida atravessa a barreira placentária e é excretada no leite materno.
Ciclofosfamida é metabolizada no fígado pelo sistema enzimático de função mista da oxidase dos microssomos hepáticos para 4- hidroxiciclofosfamida, que está em equilíbrio com a aldofosfamida. A 4-hidroxiciclofosfamida pode ser metabolizada enzimaticamente para 4-cetociclofosfamida. Aldofosfamida pode ser metabolizada enzimaticamente para carboxifosfamida, mostarda fosforamida e acroleína. Alguns estudos demostraram que mostarda fosforamida e acroleína podem aumentar as propriedades citotóxicas da Ciclosfofamida.
Ciclofosfamida e seus metabólitos são excretados, principalmente, na urina, sendo que 36‰ a 99‰ da dose é eliminada em 48 horas.

INDICAÇÕES: – CYCRAM

Cycram é um agente antineoplásico usado no tratamento de linfomas malignos, doença de Hodgkin, linfoma linfocítico (nodular ou difuso), linfomas de células mistas, linfoma histiocítico, linfoma de Burkitt, mieloma múltiplo, leucemia linfocítica crônica, leucemia granulocítica crônica, leucemias mielogênica e monocítica agudas, leucemia linfoblástica aguda em crianças, linfoma de célula- T cutânea, neuroblastoma, adenocarcinoma de ovário, retinoblastoma e carcinoma de mama.Devido à sua ação imunomoduladora, pode ser usado em artrite reumatóide, granulose de Wegener, lupo eritematoso sistêmico, poliomiosite, esclerose múltipla e na profilaxia de rejeição a transplantes. Contudo, o uso de Cycram, em situações que não envolvem neoplasias, deve ser feito com extremo cuidado, porque este medicamento possui potencial carcinogênico.

CONTRA-INDICAÇÕES: – CYCRAM

Cycram é contra- indicado nas seguintes situações:
*Varicela existente ou recente;
*Herpes zoster;
*Pacientes que apresentaram hipersensibilidade à Ciclofosfamida ou a qualquer outro componente da fórmula deste medicamento;
*Pacientes com depressão de medula óssea grave;
*Pacientes que receberam terapia anterior com pentostatina.

Cycram deve ser utilizado com cautela nas seguintes situações:
*Pacientes com leucopenia;
*Pacientes com trombocitopenia;
*Pacientes com tumor de células de infiltração de medula óssea;
*Pacientes que receberam terapia prévia com raio X;
*Pacientes tratados previamente com outros agentes citotóxicos;
*Pacientes com função renal ou hepática prejudicada.

PRECAUÇÕES GERAIS: – CYCRAM

Cycram pode reprimir o início do mecanismo de ativação do sistema imunológico. Assim, a dose de controle ou a descontinuidade do tratamento em pacientes com infecção viral, fúngica ou bacteriana devem ser consideradas.A administração de Cycram a pacientes recentemente tratados com esteróides, a pacientes com administração concomitante de drogas esteroidais pode ser fatal e deve ser feita após criteriosa avaliação e com muita cautela.
São necessários ajustes nas doses de Cycram e doses de reposição de esteróides em pacientes adrenalectomizados.
Cycram pode interferir na cicatrização normal de feridas.
Cardiotoxicidade tem sido observada em alguns pacientes recebendo altas doses de Cycram (120 a 270mg/Kg), administradas por um período de alguns dias, geralmente, como parte de um tratamento intensivo com vários antineoplásicos ou junto a procedimentos para transplantes.
Em alguns casos, após a administração de altas doses de Cycram têm ocorrido grave insuficiência cardíaca congestiva (ICC), às vezes fatal. Este efeito pode ocorrer até mesmo alguns dias após a primeira dose.
Exame histopatológico demonstrou, primariamente, miocardite hemorrágica. Nenhuma outra anormalidade cardíaca, evidenciada por eletrocardiograma ou ecocardiograma, foi observada em pacientes que sobreviveram a episódios de cardiotoxicidade, aparentemente associada com altas doses de Cycram.
Doenças malignas secundárias podem desenvolver- se em alguns pacientes tratados com Cycram, usado em terapia única ou associado à outras drogas antineoplásicas. As mais frequentes estão relacionadas à doenças malignas da bexiga, doenças malignas mieloproliferativas ou linfoproliferativas.
Doenças malignas secundárias são detectadas frequentemente em pacientes portadores de doenças primárias mieloproliferativas ou linfoproliferativas, malignas ou não- malignas, nos quais as respostas imunes estão envolvidas patologicamente.
Doenças malignas secundárias de bexiga ocorrem, geralmente, em pacientes que tiveram cistite hemorrágica.
Cistite hemorrágica pode surgir em pacientes tratados com Cycram, e considera- se que é um efeito relacionado a um metabólito. Para reduzir o risco de cistite hemorrágica, deve-se proceder a hidratação oral adequada antes do tratamento com Cycram e após 72 horas, a fim de assegurar amplo rendimento urinário. O paciente deve ser estimulado a usar Cycram pela manhã, pois, desta maneira, a maioria dos metabólitos será excretada até a noite, prevenindo o contato noturno prolongado com os metabólitos e, consequentemente, irritação da bexiga. Ao primeiro sinal de cistite hemorrágica, suspender o uso de Cycram. Células epiteliais atípicas de bexiga são observadas na urina.
O desenvolvimento de nefropatia por ácido úrico, em pacientes com leucemia ou linfoma, pode ser prevenido por hidratação oral adequada, e em alguns casos, com a administração de alopurinol. A alcalinização da urina pode ser necessária se a concentração sérica de ácido úrico estiver elevada.
Leucopenia é usada como referência para os efeitos esperados do tratamento. Anemia pode ocorrer em alguns pacientes sendo de caráter reversível. No caso de leucopenia acentuada (principalmente, granulocitopenia) ou trompocitopenia, a terapia deve ser suspensa até que os níveis de leucócitos e plaquetas sejam satisfatórios e, então, reiniciar a terapia com doses menores. Os pacientes com leucopenia devem ser cuidadosamente monitorados quanto aos sinais de infecção. Pode haver necessidade do uso de antibióticos. Em pacientes neutropênicos e com febre, utilizar, inicialmente, antibióticos de largo espectro até o diagnóstico microbiano ser definido.
A depressão medular óssea pode aumentar a incidência de infecção microbiana, cura demorada e hemorragia gengival.
No tratamento com Cycram também tem sido observado supressão das gônadas, resultando em amenorréia ou aspermatismo. Contudo, apesar de estes efeitos serem reversíveis devem ser considerados.

Uso na gravidez e lactação:
A droga demonstrou possível teratogenicidade em animais e absorção pelo feto.
Cycram somente deve ser usado durante a gravidez quando os possíveis benefícios para a mãe superarem claramente os potenciais riscos para o feto.
Homens e mulheres férteis devem ser informados do potencial mutagênico da droga e orientados a usarem métodos anticoncepcionais adequados, durante a terapia com Cycram.
Cycram é excretado no leite materno. A amamentação deve ser suspensa durante a terapia.

Uso em crianças:
Cycram pode ser usado em crianças, adequando- se as doses à essa faixa etária.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS: – CYCRAM

Mesna é um composto sulfidril sintético que interage com os metabólitos urotóxicos de Cycram e outros derivados oxazafosforínicos, diminuindo a gravidade ou prevenindo toxicidade de bexiga (como cistite hemorrágica) induzida por essas drogas.
Devido à cardiotoxicidade potencial, deve- se ter cautela na administração concomitante de Cycram e outras drogas cardiotóxicas como a doxorrubicina.
Barbitúricos e outras drogas que induzem enzimas microssomais hepáticas podem resultar em aumento dos efeitos farmacológicos e da toxicidade de Cycram devido ao aumento da conversão da droga em metabólitos ativos. Apesar de a importância clínica completa dessa interação não ter sido estabelecida, é importante monitorar pacientes que recebem essas drogas simultaneamente quanto à toxicidade de Cycram.
O uso simultâneo de azatioprina, ciclosporina, mercaptopurina e corticóides pode aumentar o risco de infecção e desenvolvimento de neoplasias.
Cycram pode potencializar os efeitos induzidos pela doxorrubicina.
Devido ao aumento da concentração de ácido úrico no sangue, pode ser necessário adequar a dose de alopurinol, colchicina, probenecida ou sulfimpirazona.
Cycram pode reduzir as concentrações séricas de pseudocolinesterase e pode prolongar o bloqueio da atividade neuromuscular da succinilcolina, especialmente, em pacientes que estão recebendo altas doses de Cycram por via intravenosa. Apesar de a importância clínica dessa interação não ter sido devidamente esclarecida, recomenda- se cautela no tratamento.
Cycram pode interferir com vacinas de vírus vivos porque, estando suprimidos os mecanismos de defesa normal, pode haver potencialização da replicação do vírus da vacina e diminuição na formação de anticorpos.

REAÇÕES ADVERSAS: – CYCRAM

Disfunções cardíacas, insuficiência cardíaca congestiva (ICC), doenças malignas de bexiga, doenças malignas linfoproliferativas, doenças malignas mieloproliferativas, leucopenia, anemia, anorexia, náusea, vômito, ulceração da mucosa oral, icterícia, colite hemorrágica, cistite hemorrágica e não- hemorrágica, hematúria, toxicidade renal manifestada por hemorragia e conglobação na pélvis renal, amenorréia, aspermatismo, fibrose ovariana, alopecia, pigmentação da pele e mudanças nas unhas, e fibrose intersticial pulmonar.

POSOLOGIA: – CYCRAM

*Adultos:
No tratamento com Cycram, como antineoplásico, a dose inicial para pacientes com quadro hematológico normal pode ser de 40 a 50mg/Kg, por via intravenosa, dividida em um período de 2 a 5 dias, ou doses de 10 a 15mg/Kg, a cada 7 a 10 dias, ou ainda doses de 3 a 5mg/Kg, 2 vezes por semana. A dose de manutenção pode seguir os mesmos padrões.
Para o tratamento de pacientes que foram tratados previamente com terapia de raio X ou agentes antineoplásicos, os quais deprimem a medula óssea, ou em pacientes cuja medula possui infiltrações tumorais, a dose recomendada é a metade ou um terço da dose inicial.
A dose para uso oral deve ser de 1 a 5mg/Kg por dia, tanto para dose inicial como para a dose de manutenção.
Como imunomodulador, a dose pode variar de 1 a 2mg/Kg ao dia.

*Crianças:
A dose no tratamento com Cycram, como antineoplásico, tanto para uso oral como para uso intravenoso, pode ser de 2 a 8mg/Kg por dia ou 60 a 250mg/m2 por dia, fracionada em 6 ou mais dias. A dose total de 7 dias pode ser administrada uma vez por semana.
Para manutenção, a dose pode ser de 2 a 5mg/Kg, por via oral, 2 vezes por semana, e a dose intravenosa, de 10 a 15mg/Kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias, ou 30mg/Kg, em intervalos de 3 a 4 semanas, ou até a medula óssea recuperar- se.
Como imunomodulador, na Síndrome Nefrótica, a dose recomendada é de 2,5 a 3mg/dia, por um período de 60 a 90 dias.
Tanto para adultos como para crianças deve- se monitorar a quantidade de células brancas sanguíneas e respeitar o limite de tolerância do paciente ao tratamento, fazendo-se adequação de dose quando necessário, e evitando leucopenia e outras infecções mais complicadas.

ADMINISTRAÇÃO: – CYCRAM


*Pó Liófilo Injetável:
Como se trata de um agente antineoplásico, devem ser considerados os procedimentos específicos quanto à manipulação e descarte dessas drogas. Supervisão médica, por especialistas nesta área, é necessária.
Devem ser observados todos os cuidados de assepsia durante toda a manipulação do medicamento até o término da injeção.
Soluções para administração parenteral devem ser inspecionadas visualmente em relação à partículas em suspensão ou descoloração da solução ou depósitos, caso a solução e a embalagem permitam.
Soluções reconstituídas de Cycram Injetável podem ser administradas por vias intravenosa, intramuscular, intraperitoneal e intrapleural.
Qualquer porção não utilizada da solução reconstituída deve ser descartada.

Reconstituição:
Cycram Injetável deve ser reconstituído em Água Estéril para Injeções. Usar a quantidade de diluente apresentada abaixo para reconstituir o produto:

Dose        Quantidade de Diluente    
200 mg        10 mL    
1g        50 mL    

A solução obtida pode ser, posteriormente, diluída em Dextrose Injetável 5‰, Dextrose e Cloreto de Sódio Injetável (5‰ e 0,9‰), Dextrose 5‰ e Ringer Injetável, Cloreto de Sódio Injetável 0,45‰, Lactato de Sódio 1/6M Injetável.
A solução reconstituída de Cycram não contém conservantes antimicrobianos devendo ser portanto, usada imediatamente, após reconstituição, ou dentro de um período máximo de 6 horas.
Preparações líquidas extemporâneas de Cycram para uso oral podem ser preparadas pela diluição de Cycram Injetável em veículo apropriado (ex: Elixir Aromático). A concentração dessa solução deve ser 1 a 5mg de Ciclofosfamida por mL. Essa preparação deve ser conservada sob refrigeração por até 14 dias.

*Comprimidos Revestidos:
Os comprimidos de Cycram devem ser deglutidos inteiros, preferencialmente, com estômago vazio e com bastante água. Se ocorrer desconforto gástrico, as doses podem ser fracionadas e ingeridas com alimentos. Não mastigar.
Lavar as mãos após tocar os comprimidos.

SUPERDOSAGEM: – CYCRAM

Não se conhece nenhum antídoto específico para Cycram. O tratamento para superdosagem deve conter medidas de suporte, incluindo tratamento apropriado para qualquer infecção presente. Mielossupressão ou toxicidade cardíaca podem ocorrer.

USO RESTRITO A HOSPITAIS

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

LABORATÓRIO

MEIZLER

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.