Princípio ativo: cloreto de potássio

Clotássio

cloreto de potássio

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:_

Líquido: Frascos com 100 ml.

USO ADULTO – USO INTERNO

COMPOSIÇÃO:_

Cada 15 ml contém:

900 mg de Cloreto de Potássio correspondente a 12 mEq.

Excipientes (Sacarina, ciclamato de sódio, nipagin, nipazol, riboflavina, sorbitol, essência de cereja, hidroxietilcelulose) q.s.p………..15 ml

INFORMAÇÕES AO PACIENTE_

-O prazo de validade encontra-se gravado na embalagem externa e no frasco, em caso de vencimento, inutilize o produto.

-Observe as doses e o modo de usar prescritos pelo médico e não modifique ou interrompa o tratamento sem a sua orientação. -Em caso de gravidez ou lactação informe seu médico. -Este medicamento não possui açúcar na sua composição.

-Informe seu médico se estiver tomando outros medicamentos ou fazendo algum regime alimentar.

-Tomar o Clotássio junto com as refeições ou imediatamente após.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO; PODE

SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS_

INDICAÇÕES:

Profilaxia e tratamento da hipotassemia, todos os estados em que se torna necessária a reposição da taxa normal de potássio, ou profilaticamente quando do uso de diuréticos ou corticosteróides, os quais provocam espoliação do potássio. Na ingestão insuficiente através da alimentação (anorexia nervosa, alcoolismo crônico,

etc.).

CONTRA-INDICAÇÕES:_

Hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Na insuficiência renal grave, mesmo quando ainda não associada a uma hipercalemia manifesta. No tratamento concomitante com diuréticos poupadores de potássio. Nas situações onde o trânsito gastrintestinal esteja diminuído ou inibido (obstrução esofágica, estenose ou atonia de um segmento do trato gastrintestinal). Durante a gravidez. A hipocalemia associada a acidose metabólica não deverá ser tratada com Cloreto de potássio, mas sim com um sal alcalino tal como bicarbonato, citrato ou acetato de potássio.

PRECAUÇÕES:_

Evitar dosagem superior às necessidades em pacientes com disfunção renal; observar cuidadosamente pacientes digitalizados.

Os pacientes portadores de sintomas sugestivos de gastrite ou úlcera gastroduodenal deverão ser observados mais rigorosamente.

A carência de magnésio induzida por diuréticos impede a correção de déficit de potássio,a hipomagnesemia e a hipocalemia devem ser corrigidas simultaneamente. INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS:_

Administrar com cautela em pacientes sob o tratamento com inibidores de enzima de conversão, anticolinérgicos e medicamentos que possam conduzir a uma hipercalemia (antinflamatório não hormonais, betabloqueadores, heparina e digoxina).

EFEITOS COLATERAIS E ADVERTÊNCIAS:_

Embora raramente, podem ocorrer distúrbios gastrintestinais ou erupções cutâneas

suspender a medicação e entrar em contato com seu médico.

Devido ao risco de hipercalemia, a utilização de sais de potássio em pacientes

portadores de nefropatia crônica, ou qualquer outra situação onde a excreção

potássica esteja alterada, impõe uma vigilância estrita à concentração plasmática

de potássio, com ajustamento posológico adequado.

GRAVIDEZ E LACTAÇÃO:

Informar ao médico a ocorrência de gravidez durante o tratamento ou após o seu término.

USO EM IDOSOS:

Não existem evidências de que pacientes idosos requerem posologias diferentes ou que apresentem efeitos colaterais diferentes dos pacientes mais jovens,porém, pacientes idosos devem ser supervisionados, pois fatores associados com a idade, como dieta insatisfatória ou função renal prejudicada, podem indiretamente afetar a dosagem ou a tolerabilidade.

POSOLOGIA:_

Adultos: 1 a 2 colheres de sopa (15 ml), 3 vezes ao dia, ou a critério médico. Crianças – 6 meses a 2 anos: 1 colher de chá até 4 vezes ao dia.

2 a 6 anos: 1 colher das de sobremesa (10 ml), até 4 vezes ao dia. Tomar o clotássio junto com as refeições ou imediatamente após.

SUPERDOSAGEM:_

Intoxicação por potássio pode resultar de uma superdosagem de potássio ou de doses terapêuticas na condição mencionada em contra-indicações. Tratamento da hiperpotassemia.

1. Solução de glicose, 10 ou 25% contendo 10 unidades de insulina cristalina por 20 g de glicose, ministrada via I.V., na dose de 300 a 500 ml em uma hora.

2. Adsorção e troca de potássio usando resinas de troca catiônica de sódio ou amônia (não usar amônia em pacientes com cirrose hepática).

3. Hemodiálise ou diálise peritoneal.

4. Eliminar o uso de medicamentos que contenham potássio.

5. Em pacientes digitalizados, a diminuição muito rápida da concentração sérica do potássio pode causar toxicidade digitálica.

SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR, NÃO DESAPARECENDO OS SINTOMAS _PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA._

Número do lote, data de fabricação e validade: vide cartucho. Reg. M.S. n° 1.0577.0045.004-0

Farm. Resp. Dra. Elaine C.M. Pessôa – CRF-SP n° 14.059

BUNKER INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA

Rua: Aníbal dos Anjos Carvalho, 212 Cidade Dutra São Paulo – SP – Fone: (11) 5666-0266 C.N.P.J. 47.100.862/0001-50

Serviço de Atendimento ao Cliente: SAC 0800.142110 BUNKER INDÚSTRIA BRASILEIRA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.