Princípio ativo: ácido tolfenâmicoClotan
Classe terapêutica dos Analgesicos, Antiinflamatorios e Antipireticos
Princípio ativo Acido Tolfenamico. Uso adulto. venda sob prescrição médica.

Indicações de Clotan

CLOTAN é indicado como antiinflamatório, analgésico e antipirético.

Efeitos Colaterais de Clotan

Nenhum afeito colateral grave ou irreversível foi relatado. As seguintes reações adversas foram observadas: diarréia, náusea, dor gástrica, vômito, dispepsia, exantema, eritema, prurido, urticária. Disúria leve sob a forma de ardência pode ocorrer ocasionalmente, sendo mais comum nos homens, e está relacionada à concentração de um metabólito. O efeito, provavelmente, é devido a uma irritação local da uretra. O aumento do consumo de líquidos ou a redução da dosagem diminui o risco da ardência. Os seguintes efeitos colaterais raramente foram relatados: dor de cabeça, vertigem, tremor, euforia, fadiga, dispnéia, infiltração pulmonar, broncoespasmo e crise de asma. trombocitopenia, anemia hemolítica, leucopenia, distúrbios reversíveis da função hepática a hepatite tóxica, suor, rubor, edema, eczema, hematiuria, úlcera gástrica, úlcera esofágica, icterícia, aminotransferase aumentada, hiperestesia, amnésia, distúrbios menstruais, hipertonia, dor no tórax, perda de peso, febre, alergia.

Como Usar (Posologia)

Adultos: 200 mg 3 vezes ao dia. A dose mais alta pode ser usada durante os primeiros dias do tratamento. Em tratamentos prolongados, muitos pacientes podem apresentar bons resultados com dose mais baixa. Crianças: Um esquema posológico pediátrico ainda não foi estabelecido.

Contra-Indicações de Clotan

CLOTAN é contra-indicado nos casos de úlcera péptica ativa e funções hepática ou renal bastante reduzidas.

Precauções

A segurança de CLOTAN durante a gravidez não foi estabelecida, portanto o seu uso, neste caso, deve ser evitado. O ácido tolfenâmico, como outras drogas antiinflamatórias, deve ser usado com cautela em pacientes com história de úlcera gastrintestinal e funções renal e hepática reduzidas.

Modo de Uso (Posologia) de Clotan

Adultos: 200 mg 3 vezes ao dia. A dose mais alta pode ser usada durante os primeiros dias do tratamento. Em tratamentos prolongados, muitos pacientes podem apresentar bons resultados com dose mais baixa. Crianças: Um esquema posológico pediátrico ainda não foi estabelecido.

Composição

Cada cápsula contém: Ácido tolfenâmico 200 mg; excipiente q.s.p. 1 cápsula. Excipientes: amido, lactose, polietilenoglicol, polivinilpirrolidona, talco.

Informação ao paciente Conservar o produto ao abrigo da luz, umidade e calor excessivo (temperatura superior a 25ºC). O prazo da validade do produto é de 60 meses, a contar da data de sua fabricação.

Não use medicamentos com prazo de validade vencido.

Caso ocorra gravidez durante ou logo após o tratamento com CLOTAN, suspenda a medicação e comunique imediatamente ao seu médico. O uso de CLOTAN não é recomendado durante a gravidez e é contra-indicado a pacientes com história de úlcera e problemas renal e hepático. Comunique ao seu médico se estiver fazendo uso de outros medicamentos. O produto deve ser usado de acordo com a orientação dada pelo médico e somente ele poderá recomendar a sua interrupção. Caso surjam reações desagradáveis, tais como diarréia, náusea, dor gástrica, vômito, prurido, urticária, ardência ao urinar, procure orientação médica.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Não é recomendado o uso de CLOTAN em crianças.

Não tome remédio sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde.

Atenção Este produto é um novo medicamento e, embora as pesquisas realizadas tenham indicado eficácia e segurança quando corretamente indicado, podem ocorrer reações adversas imprevisíveis, ainda não descritas ou conhecidas. Em caso de suspeita de reação adversa, o médico responsável deve ser notificado.

Forma Farmacêutica e Apresentação

Cápsula. Apresentado em embalagem com 10 cápsulas.

Informações Técnicas

CLOTAN contém como principio ativo o ácido tolfenâmico, quimicamente o ácido-N-(2-metil-3-clorofenil)-an-tranílico, que inibe a síntese de prostaglandinas, como a maioria dos agentes antiinflamatórios não-esteroidais (AINE), mas atua também, à distinção da maioria dos outros agentes, bloqueando os receptores das prostaglandinas. É um AINE com propriedades antiinflamatória, analgésica e antipirética. Após a administração oral de CLOTAN, o ácido tolfenâmico é quase que completamente absorvido. A concentração plasmática máxima é alcançada após cerca de 2-8 horas. O estado de equilíbrio é atingido após a primeira dose. O ácido tolfenâmico se liga altamente às proteínas plasmáticas (99%). É metabolizado no fígado, da mesma forma que os seus metabólitos, conjuga-se ao ácido glicurônico. Cerca de 90% da ácido tolfenâmico são eliminados pela urina conjugados ao ácido glicurônico, enquanto que cerca de 10% são eliminados pelas fezes. A meia-vida do ácido tolfenâmico no homem é de cerca de 2 horas.

Interações Medicamentosas

O ácido tolfenâmico potencializa a ação dos anticoagulantes, e reduz o efeito dos diuréticos de alça.

Superdosagem

Nenhum sintoma de superdosagem foi demonstrado em seres humanos. nos casos em que for necessário um tratamento, este deve ser sintomático. não existe antídoto específico para o ácido tolfenâmico.

Laboratório

GlaxoSmithKline

Remédios da mesma Classe Terapêutica

A.a.s., Acetofen, Actiprofen, Algifen, Alginac

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.