Princípio ativo: clomipramina

C1 – Receituário de controle especial em duas vias

Clo

1. O que é Clo?

  Clo é a clomipramina, um dos antidepressivos mais antigos. Trata-se de um antidepressivo tricíclico, inibidor da recaptação da noradrenalina e da serotonina que tem um efeito sedativo moderado. Pode ser administrado por via oral ou parenteral. Tem uma absorção praticamente total, quando tomada por qualquer dessas vias. Tomada oralmente, possui uma meia vida de 12 a 36 horas. Isso é importante, pois após vários dias de interrupção das tomadas a substância ainda pode ser detectada no sangue. Sua metabolização é hepática e é excretada lentamente pela urina (em sua maior parte) e pelas fezes.   

2. Quando o médico prescreve Clo (clomipramina)?

  A clomipramina está indicada nas depressões severas, inclusive nas da psicose maníaco depressiva. Também atua favoravelmente nos distúrbios do pânico e nos transtornos obsessivo-compulsivos. Neste último é claramente superior aos outros antidepressivos do mesmo grupo. Devido ao retardamento que ocasiona, a clomipramina também atua como coadjuvante no tratamento da ejaculação precoce. É um importante coadjuvante dos analgésicos no tratamento das dores crônicas.   

3. Como o médico prescreve Clo (clomipramina)?

  Cada caso é diferente de outro e exige doses e modos diferentes de tomar. Lembre-se que muitas vezes uma medicação deixa de fazer efeito porque sua dosagem é muito baixa ou apresenta muitos efeitos colaterais ou tóxicos porque sua dosagem é muito alta. Portanto, é importante seguir exatamente as orientações do médico e não mudar a dose ou a forma de tomar o medicamento por conta própria.   

4. Quais os efeitos colaterais mais comuns de Clo (clomipramina)?

  Os efeitos colaterais mais comuns da clomipramina são: aumento de peso, boca seca, fadiga, ejaculação retardada, insônia, náuseas, sudorese, tremores, tonturas. Em geral, esses efeitos são pouco intensos e tendem a desaparecer com a continuidade do tratamento, em duas a quatro semanas. Esses ou outros efeitos colaterais que por ventura surjam devem ser prontamente comunicados ao médico.   

5. Pode-se dirigir enquanto se faz uso de Clo (clomipramina)?

  Como acontece com toda substância que atua no sistema nervoso provocando algum grau de sedação e lentificando os reflexos motores, é aconselhável que não se dirija veículos automotores ou maneje máquinas perigosas enquanto em uso da clomipramina.   

6. Pode-se indicar Clo (clomipramina) na gravidez ou na amamentação?

  A clomipramina é um dos antidepressivos mais pesquisados e nenhum estudo até hoje demonstrou relação entre essa droga e más formações fetais. Ela é considerada segura durante esse período. Recomenda-se a retirada da substância 15 dias antes do parto para evitar-se que ocorram sintomas sedativos no recém-nascido.   

7. Quais observações e cuidados especiais devem ser mantidos durante o uso de Clo (clomipramina)?

  Em doses altas a clomipramina pode agravar os sintomas da esquizofrenia. Ela também deve ser evitada em pacientes que previamente tenham sofrido convulsões. Entretanto, ela parece ter bom efeito na depressão de esquizofrênicos, onde pode ser usada com supervisão médica permanente.  A clomipramina pode ser usada em crianças acima de cinco anos na dose de 3mg/Kg de peso por dia. Costuma-se usá-la para tratamento da enurese noturna, no entanto, a clomipramina não deve ser usada em crianças nas doses necessárias para tratar a depressão.  A clomipramina não precisa ser suspensa antes de uma eventual anestesia.  O paciente tomando clomipramina também não deve expor-se ao sol por longos períodos.  A clomipramina pode alterar a medida laboratorial da glicemia.   

8. Quando Clo (clomipramina) não é indicado?

  Clo não é indicado em casos de conhecida hipersensibilidade à clomipramina ou a qualquer outro componente de sua fórmula. A clomipramina não deve ser usada em infartados recentes (menos de quatro semanas), nos casos de bloqueios de ramos cardíacos ou por pessoas que sofram de glaucoma do ângulo fechado, íleo paralítico, retenção urinária por crescimento da próstata e feocromocitoma. Não deve também ser associada com inibidores da monoaminaoxidase porque podem surgir reações de graves consequências. A clomipramina não deve ser usada para tratar a depressão em menores de 12 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.