Princípio ativo: budesonidaBusonid 50 mcg Aerossol Nasal

Composição – BUSONID

cada dose (50 mcl) contém: budesonide 50 mcg.

Posologia e Administração – BUSONID

dose terapêutica usual: a dose usual do aerossol nasal consiste em uma aplicação em cada narina, pela manhã e outra aplicação pela tarde. Dose mínima: quando se obtêm os resultados do tratamento ou quando os sintomas regrediram bastante pode- se administrar somente 1 aplicação em cada narina. Dose máxima: em casos severos, ou no começo do tratamento, podem-se administrar 2 aplicações em cada narina, a cada 12 horas, isto é, pela manhã e pela tarde. À medida em que se vai obtendo uma resposta favorável, vão se diminuindo as doses até chegar à usual. A critério médico as doses podem ser aumentadas ou diminuídas, segundo o estado do paciente e a severidade dos sintomas. Para facilitar a permeabilidade da mucosa nasal e contribuir para uma melhor absorção do aerossol nasal, convém, antes de cada administração, proceder a uma profunda limpeza das narinas. Como ocorre com outros corticosteróides, o efeito completo do aerossol nasal pode não se fazer aparente até passarem-se 3 ou 4 dias do começo do tratamento e é importante que o paciente compreenda que o tratamento não está destinado a obter um alívio rápido, mas sim duradouro, e empregá-lo de forma regular. – Superdosagem: a sua baixa atividade sistêmica faz com que o risco de intoxicação com aerossol nasal seja muito improvável. De qualquer forma, a interrupção do tratamento seria suficiente para fazer desaparecer os sintomas de intoxicação. Se, em alguma circunstância especial, aparecerem sintomas de hipercorticismo (edema, cara de lua cheia), corrigir o desequilíbrio eletrolítico com diuréticos que não afetem o potássio, tais como: o espironolactona e o triamtereno.

Precauções – BUSONID

em tratamentos prolongados, deve se inspecionar a mucosa nasal de uma forma regular, ao menos uma vez a cada 6 meses. Raramente foram relatados casos de perfuração do septo nasal e aumento da pressão intra- ocular. Às vezes pode ser necessário um tratamento concomitante com anti-histamínicos, para neutralizar os efeitos oculares potenciais provocados pela alergia. Gravidez e lactação: Busonid só deve ser usado durante a gravidez se os benefícios justificarem os riscos em potencial para o feto. Os bebês, de mães em tratamento durante a gravidez, podem apresentar, ao nascer, hipoadrenalismo. Devido à possibilidade de Busonid ser excretado no leite materno, não se recomenda o seu uso durante a lactação.

Reações adversas – BUSONID

foram relatados poucos efeitos secundários. Os efeitos adversos associados com a aplicação intranasal de budesonide em pacientes com rinite, alérgica ou não, mais frequentemente comunicados têm sido irritação cutânea transitória ao redor do nariz, irritações locais, irritação nasal. Raramente podem ocorrer: irritação da garganta, secura de nariz e hemorragias nasais. Podem ocorrer acessos de espirros imediatamente após o uso do aerossol. Observou- se que budesonide apresentou menos efeitos secundários que a dexclorfeniramina (anti-histamínico), especialmente no que se refere à secura da boca e à sonolência. Budesonide provocou, também, uma irritação nasal significativamente menor que a do flunisolide, e uma incidência de reações transitórias menores que as do dipropionato de bleclometasona e do cromoglicato sódico. Em pacientes com rinite perene, a incidência de efeitos secundários tem sido baixa. A função adrenal permaneceu dentro dos limites normais. A administração de budesonide intranasal a pacientes com pólipos nasais, produziu uma baixa incidência de efeitos secundários transitórios leves, sem evidência de secura na mucosa nasal ou de formação de crostras. Raramente podem ocorrer reações de hipersensibilidade incluindo urticária, angioedema, rash cutâneo e broncospasmo. Podem, também, ocorrer casos de ulceração da mucosa nasal e/ou perfuração do septo nasal e aumento da pressão intra-ocular. Foram relatados raros casos de febre, dor de cabeça, náusea e rinorréia.

Contra-Indicações – BUSONID

contém na sua fórmula um glicocorticóide que, como quase todos os corticosteróides, tem muito poucas contra- indicações e, entre elas, podem-se citar: tuberculose pulmonar; infecções fúngicas das vias aéreas; infecções bacterianas das vias aéreas; infecções virais das vias aéreas; no primeiro trimestre da gravidez e na lactação; herpes ocular simples. Em todos esses casos, o controle médico deve ser rigoroso e se devem guardar precauções especiais. O produto não deve ser administrado a pacientes sensíveis ao budesonide.

Indicações – BUSONID

na profilaxia e tratamento de todos os tipos de rinite. Está indicado na rinite alérgica sazonal (estacional); rinite alérgica perene; rinite vasomotora; prevenção de pólipos nasais; no tratamento da febre do feno.

Apresentação – BUSONID

frasco com 10 ml (correspondente a 200 doses); aerossol com válvula dosificadora.

LABORATÓRIO

BIOSINTETICA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *