Princípio ativo: benzilpenicilina benzatinaBenzilpenicilina Benzatina (Biolab)

Composição – BENZILPENICILINA BENZATINA

cada frasco- ampola contém respectivamente300.000 U. I., 600.000 U. I., 1.200.000 U. I. e 2.400.000 U. I. de benzilpenicilina benzatina. Cada ampola diluente contém, respectivamente, 2 ml, 3 ml e 7 ml.

Posologia e Administração – BENZILPENICILINA BENZATINA

a Benzilpenicilina benzatina deve ser administrada unicamente por via intramuscular profunda e preferencialmente no quadrante superior lateral da nádega, que é o local mais adequado. Em lactentes e crianças pequenas, pode ser usada a face lateral da coxa. Quando forem necessárias doses repetidas, alternar o local da aplicação. Antes de se injetar a Benzilpenicilina benzatina, deve- se puxar o êmbolo da seringa para certificar-se de que a agulha não atingiu algum vaso sanguíneo. A injeção deve ser aplicada de forma lenta e contínua para que a dor não seja insuportável nem haja entupimento da agulha. Recomenda-se as seguintes dosagens: Infecções estreptocócicas (grupo A) do trato respiratório superior e da pele: crianças até 30 kg: uma injeção única de 300.000 U.I, ou a cada 3 dias, ou ainda uma injeção única de 600.000 U.I., ou a cada 5-6 dias, até completo controle da infecção; crianças maiores de 30 kg: uma injeção única de 900.000 U.I., ou a cada 6 dias, até completo controle da infecção; adultos: uma única injeção de 1.200.000 U.I., ou a cada 7 dias, até controle total da infecção. Sífilis primária: uma injeção de 2.400.000 U.I. Após 5 dias repetir a dose. Sífilis secundária e latente recente: uma injeção inicial de 2.400.000 U.I.; uma segunda injeção de 2.400.000 U.I. após 4 dias, e uma terceira de 1.200.000 U.I. após idêntico prazo. Sífilis latente tardia: quatro injeções de 2.400.000 U.I., com 4 dias de intervalo entre elas. Sífilis da gestante: uma injeção de 2.400.000 U.I. Sífilis congênita: a dose deve ser calculada entre 75.000 a 100.000 UI/kg em crianças com menos de 32 kg. Deverão ser administradas injeções com intervalos de 2 a 3 dias, até completar a dose total de 2.400.000 U.I. Bouba, bejel e pinta: uma injeção única de 1.200.000 U.I. Profilaxia do tétano: nos ferimentos suspeitos, além das medidas necessárias, recomenda-se uma injeção de 1.200.000 U.I. Profilaxia da febre reumática e da glomerulonefrite: crianças: 600.000 a 900.000 U.I.; adultos: 900.000 a 1.200.000 U.I. Na profilaxia da febre reumática as injeções devem ser dadas a cada 15 a 30 dias. O tratamento é aconselhado até os 25 anos de idade e outros por toda a vida. – Superdosagem: não há relatos de superdosagem com Benzilpenicilina benzatina. Normalmente as penicilinas apresentam mínima toxicidade para o homem. A Benzilpenicilina pode causar alterações neurovasculares. Nestes casos o tratamento deve ser sintomático e de suporte.

Precauções – BENZILPENICILINA BENZATINA

antes de iniciar- se terapia com penicilinas, deve ser feito cuidadoso questionário sobre história anterior de sensibilidade às penicilinas, cefalosporinas ou outros alérgenos. Foram relatadas severas reações, inclusive fatais, em pacientes sob tratamento com penicilinas. Pacientes com história de alergia a múltiplos alérgenos são mais suscetíveis a estas reações. Indivíduos que são sensíveis às penicilinas, também podem apresentar sensibilidade às cefalosporinas. Usar cuidadosamente penicilinas em pacientes com história de alergia e/ou asma. É importante que nas infecções estreptocócicas, o tratamento com penicilinas deve eliminar os microorganismos, para se evitar graves sequelas estreptocócicas. – Gravidez: as penicilinas atravessam a barreira placentária, porém não foram relatados efeitos em humanos. Apesar das penicilinas serem consideradas seguras para o uso durante a gravidez, estas deverão ser utilizadas somente sob determinação médica. – Lactação: a Benzilpenicilina benzatina é excretada no leite materno. No entanto, não são conhecidos problemas significantes em humanos. Mulheres que estão amamentando somente devem ser tratadas com penicilinas sob orientação médica. É de fundamental importância evitar-se a injeção intra-arterial, intravenosa ou junto a grandes troncos nervosos, pois tais aplicações podem produzir lesões neurovasculares sérias, gangrena ou necrose ao redor da injeção. Outras reações decorrentes da má administração foram palidez, cianose, dores fortíssimas e ocorreram com maior frequência em crianças. Injeções em nervos ou nas proximidades destes podem resultar em lesões permanentes. – Interações medicamentosas: a probenecida, quando administrada conjuntamente, provoca um aumento e prolongamento das concentrações séricas e prolongamento da meia-vida de eliminação da penicilina. O cloranfenicol, as eritromicinas, as sulfamidas e as tetraciclinas que são fármacos bacteriostáticos, podem interferir com os efeitos bactericidas das penicilinas. Interferências nos testes de laboratório: determinações de glicose na urina, quando se utiliza teste com sulfato de cobre (Benedict ou de Fehling), podem dar falso-positivos. As provas de glicose por método enzimático não são afetadas.

Reações adversas – BENZILPENICILINA BENZATINA

foram relatados rash cutâneo, urticária, prurido, inchaço, edema de laringe, reações semelhantes à doença do soro (febre, calafrios, artralgia e prostração). Reações anafiláticas intensas têm sido relatadas. Como em outros tratamentos para sífilis, casos de reação de Jarisch- Herxheimer foram relatados.

Contra-Indicações – BENZILPENICILINA BENZATINA

em pacientes com hipersensibilidade às penicilinas.

Indicações – BENZILPENICILINA BENZATINA

no tratamento das infecções causadas por germes sensíveis à penicilinoterapia, como infecções estreptocócicas – grupo A – (trato respiratório superior e da pele); infecções venéreas (sífilis, bouba, bejel e pinta); profilaxia da glomerulonefrite aguda e febre reumática.

Apresentação – BENZILPENICILINA BENZATINA

pó injetável com diluente. Caixa contendo 50 frascos- ampola e 50 ampolas diluentes.

LABORATÓRIO

Biolab Sanus Farm.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *