Princípios ativos: diciclomina, dicicloverinaBentyl
Classe terapêutica dos Antiespasmodicos Intestinais
Princípios ativos Diciclomina e Dicicloverina.

Indicações de Bentyl

No tratamento de distúrbio funcional da síndrome do colon irritável (colon irritável, colon espástico e colite mucosa).

Efeitos Colaterais de Bentyl

As drogas anticolinérgicas/antiespasmódicas determinam respostas que podem ser fisiológicas ou tóxicas de acordo com a resposta individual do paciente. O médico precisa ponderar esse fato.

Reações adversas incluem: xerostomia, tenesmo vesical ou retenção urinária; turvação da visão e taquicardia; palpitações; midríase; cicloplegia; aumento da pressão; ageusia, cefaléia; nervosismo; sonolência; fraqueza; tontura; insônia; náusea; vômito; secura da boca; sedação; anorexia; disúria; supressão da lactação; constipação; empachamento abdominal; reações alérgicas intensas ou idiossincrasias incluindo anafilaxia; urticária e outras manifestações dermatológicas; diferentes graus de confusão mental e ou excitação especialmente em idosos; diminuição da transpiração.

Advertências

Em presença de temperatura ambiente elevada poderá ocorrer prostação com o uso da droga (febre e internação devido à diminuição na transpiração). Diarréia pode ser um sintoma inicial de sub-oclusão intestinal, especialmente em pacientes ileostomizados ou colostomizados.

Nestas situações, o tratamento com esta droga poderá ser inapropriado e possivelmente prejudicial.

Apresentação

Solução: frascos com 15 ml

Composição

Cada ml (aproximadamente 40 gotas) contém:
Cloridrato de diciclomina ………………..20 mg
Veículo q.s.p. ………………..1 ml
(sacarina sódica, laurilssulfato de sódio, açúcar, aroma, ácido cítrico hidratado, álcool, caramelo e água deionizada)

Contraindicações

Uropatia obstrutiva (por exemplo, hipertrofia prostática), idiossincrasia conhecida ao cloridrato de diciclomina, doença obstrutiva do trato gastrintestinal (como na acalásia e na estenose piloroduodenal); íleo paralítico, atonia intestinal do idoso ou do paciente debilitado; descompensação cardio-circulatória na hemorragia aguda; colite ulcerativa grave; megacolon tóxico como complicação da colite ulcerativa; miastenia gravis e no glaucoma.

Crianças com menos de 6 meses de idade.

Modo de Uso

A posologia deve ser ajustada às necessidades individuais do paciente.

Adultos:
A única dose que se mostrou eficaz por via oral é de 160 mg ao dia (dividida em quatro tomadas iguais). Como esta dose associa-se com incidência elevada de efeitos adversos, é prudente iniciar com 80 mg ao dia (divididas em quatro doses iguais). Dependendo da resposta do paciente na primeira semana de tratamento, a dose poderá ser aumentada para 160 mg ao dia a menos que os efeitos adversos limitem a elevação da dose. Em caso de não se obter eficácia após duas semanas de tratamento ou se as reações adversas obrigarem a manter a dose abaixo de 80 mg ao dia, o tratamento deverá ser interrompido. Não são disponíveis dados documentados de segurança para doses de 80 a 160 mg ao dia, por períodos maiores do que duas semanas.

10 – 40 mg (aprox. 20 – 80 gotas), 3 a 4 vezes ao dia. Não se deve exceder a dose diária de 160 mg.

Crianças:
2 – 12 anos: 10 mg (aprox. 20 gotas), 3 a 4 vezes ao dia.

6 meses a 2 anos: 5 a 10 mg (aprox. 10 – 20 gotas), 3 a 4 vezes ao dia, 15 minutos antes da alimentação.

Não se deve exceder a dose diária de 40 mg (aprox. 80 gotas).

Superdosagem

Os sinais e sintomas de superdose são: cefaléia, náusea, vômito, turvação da visão, midríase, calor, pele seca, tontura, secura da boca, dificuldade para deglutir e estimulação do Sistema Nervoso Central. O tratamento consiste em lavagem gástrica, uso de eméticos e carvão ativado. Barbitúricos podem ser usados, tanto por via oral como intramuscular, para sedação. Em caso de superdosagem pode ocorrer reação do tipo curare.

Laboratório

Medley S.A. Ind. Farm.

Remédios da mesma Classe Terapêutica

Agoniada, Algexin, Atapec, Bioscina, Bipasmin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.