Princípio ativo: glibenclamidaBenclamin

Laboratório

Cazi

Referência

Glibenclamida

Apresentação de Benclamin

cx. c/ 20 compr. de 5 mg

Contra-indicações de Benclamin

Diabetes mellitus insulino-dependente (diabete tipo I, diabete juvenil) coma diabético, descompensação metabólica devido à diabete (especialmente pré-coma), insuficiência renal grave, hipersensibilidade à glibenclamida, gravidez e período de lactação.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Benclamin

Podem ocorrer reações ligadas ao funcionamento do trato gastrintestinal, tais como: náuseas, sensação de plenitude gástrica ou peso no epigastro; diarréias são observadas em casos excepcionais. Reações de hipersensibilidade envolvendo a pele e incluindo fotossensibilidade e choque ocorreram em casos isolados. Foram relatados distúrbios hematopoéticos, como por exemplo, diminuição leve a grave das plaquetas (trombocitopenia), hemácias (anemia) e leucócitos (leucopenia) que podem progredir para depleção sérica dos granulócitos (agranulocitose) ou diminuição de todos os elementos celulares do sangue (pancitopenia). Houve em alguns casos, aceleração na degradação de células vermelhas (anemia hemolítica) e inflamação dos vasos sangüíneos (vasculites). Em geral, tais alterações são reversíveis. Também c/ incidência rara, podem ocorrer alterações hepáticas, como por exemplo, hepatite e colestase, distúrbios mais graves das funções hepáticas e alteração do sistema endócrino, c/ prejuízo do controle metabólico da hiperglicemia. Pode ocorrer hipoglicemia grave, provocando distúrbios da visão. O estado de atenção e o tempo de reação podem ser alterados de tal forma que o paciente não pode dirigir ou operar máquinas c/ segurança. A glibenclamida pode apresentar hipersensibilidade cruzada às sulfonamidas ou seus derivados.

Benclamin – Posologia

De maneira geral, a dose inicial é de 2,5 mg a 5 mg por dia. Essa dose inicial pode ser gradualmente aumentada, se necessário, a 15 mg e, em casos excepcionais, a 20 mg por dia. A dosagem deve ser ajustada conforme os resultados de exames laboratoriais (doseamento de glicose no sangue e na urina). Recomenda-se, em geral, que a primeira dose diária deve ser administrada imediatamente antes da primeira refeição substancial. Para os casos que exigirem mais de um compr. ao dia, recomenda-se dividir a dose em duas administrações: uma antes da primeira refeição substancial e a outra antes do jantar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.