Princípio ativo: moclobemida

C1 – Receituário de controle especial em duas vias

Aurorix
Classe terapêutica dos Antidepressivos
Princípios ativos Imao- Inibidores da Monoaminoxidase e Moclobemida.

Indicações de Aurorix

Tratamento das síndromes depressivas. AURORIX® é particularmente adequado para tratamento ambulatorial, uma vez que não possui ação sedativa e não compromete a atenção nem a capacidade de reação.

Efeitos Colaterais de Aurorix

AURORIX® é bem-tolerado. Os efeitos secundários mais freqüentemente observados foram: distúrbios do sono, vertigens, náuseas, cefaléia, agitação e constipação. Outros efeitos de caráter transitório ou ocasional: tremor, frio, sonolência, rubor, cansaço dos membros inferiores e taquicardia. Em casos raros, estados confusionais foram observados, mas cessaram rapidamente após interrupção do tratamento.

Apresentação

Comprimidos (ranhurados) 100 mg: Caixa com 30; comprimidos (ranhurados) 150 mg: Caixa com 30; comprimidos (ranhurados) 300 mg: Caixa com 30.

Composição

Cada comprimido contém: AURORIX® 100 mg: Moclobemida (p-cloro-N-(2-morfolinoetil) benzamida) 100 mg. Excipientes: Lactose, amido de milho, amido glicolato sódico, povidone, estearato de magnésio, hidroxipropilmetilcelulose, talco, dióxido de titânio, óxido de ferro amarelo e óxido de ferro vermelho.

Contraindicações

Hipersensibilidade à droga. Estados de confusão aguda. AURORIX® não deve ser utilizado em pediatria, uma vez que não se dispõe, até o momento, de experiência clínica nesta faixa etária. A administração concomitante de moclobemida com seleginina também é contra-indicada.

Modo de Uso

A dose inicial recomendada é de 300 mg/dia, geralmente dividida após uma das principais refeições. Se necessário, a dose pode ser aumentada em até 600 mg/dia, dependendo do grau de severidade da depressão. As doses não devem ser aumentadas antes da primeira semana de tratamento, uma vez que a biodisponibilidade aumenta durante este período (ver Farmacocinética).

Superdosagem

Até o presente momento, a experiência de superdosagem com o uso do AURORIX® em seres humanos é limitada. Os sintomas observados foram: aumento da agitação, agressividade e alterações do comportamento. O tratamento de superdosagem deve visar, em primeiro lugar, à manutenção das funções vitais.

Uso durante a Gravidez

Os dados disponíveis referentes aos estudos em animais não indicam que AURORIX® deva ser contra-indicado durante a gravidez. No ser humano não se dispõe atualmente de dados. Deve-se levar em consideração o princípio médico de não se prescrever qualquer tipo de medição durante os primeiros meses de gravidez.

Uso durante a Lactação

Devido à passagem de quantidades mínimas de moclobemida para o leite materno (ver Farmacocinética), os benefícios do tratamento para mãe devem ser considerados em relação aos possíveis riscos para o lactente. Portanto, somente o médico pode recomendar o uso deste medicamento.

Laboratório

Prods. Roche Químs. Farms. S.A.

Remédios da mesma Classe Terapêutica

Arotin, Butal Sedin, Cebrilin, Cipramil, Deprax 20 mg

Remédios que contém o mesmo Princípio Ativo

Elepril, Stelapar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.